quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Aeroporto ainda na base do improviso até março de 2012

 (Honórrio Moreira/O IMP/D.A PRESS)
Salas de embarque e desembarque vazias. Este é o cenário do Aeroporto Internacional de São Luís Marechal Hugo da Cunha Machado. Com as tendas armadas, os passageiros se sentem abandonados e sem qualquer assistência quanto à infraestrutura do local.

As reformas foram adiadas devido à existência de um dreno pluvial encontrado durante as escavações para instalação dos pilares de sustentação das novas estruturas. O dreno está localizado no mesmo alinhamento desses pilares, assim tem que ser feito um desvio e por conta de tal desvio, a obra demanda um maior prazo para a conclusão.

A Infraero então decidiu pelo adiamento. Essa já é a terceira vez que a obra é adiada, por motivo, segundo a Infraero, de ter sido constatado a necessidade de revisão do cronograma. O novo prazo está previsto para março do próximo ano.

Com a infraestrutura precária, os passageiros ao desembarcar são transportados até o saguão em um micro-ônibus disponibilizado pelo aeroporto. Alguns passageiros relataram ao O Imparcial que a entrega de malas é outro problema, já que muitas vezes elas demoram a chegar. "Já perdi um carro que me levaria para casa só esperando minha mala chegar até aqui", disse um passageiro que não quis se identificar.

A equipe de reportagem procurou o Box de atendimento a passageiros da Infraero no local para explicar os casos relatados, mas a informação repassada era de que havia encerrado o expediente do dia.

Paralisação
Às vésperas do Natal, trabalhadores do setor aéreo ameaçam o começo de uma greve o que, provavelmente, resultará em mais uma confusão nos aeroportos. Em reunião no Tribunal Superior do Trabalho (TST) a fim de tentar uma conciliação com as companhias aéreas, os sindicatos dos aeroviários (pessoal de terra) e aeronautas (pilotos e tripulantes) anunciaram uma paralisação nacional por tempo indeterminado a partir das 23h desta quinta-feira.

A proposta dos empregadores de reajuste salarial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), de 6,17%, ao insistir em 7%, foi rejeitada pelos representantes dos funcionários.

Os patrões, representados pelo Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA), alegaram que não poderiam conceder aumento real em razão dos prejuízos acumulados pelas companhias até o terceiro trimestre e, sobretudo, para se precaver contra o cenário negativo da economia global em 2012.

Os advogados dos aeroviários e aeronautas foram irredutíveis, argumentando que o setor teve expansão recorde este ano e que diversas outras categorias obtiveram ganhos reais.

O julgamento da causa só ocorrerá em fevereiro, já que a Justiça entrou em recesso. Até lá os patrões deverão recorrer ao TST para que o tribunal estabeleça limites ao movimento. Até quinta-feira a esperança é que as partes se reúnam para chegar a um entendimento, com isso, os trabalhadores avisaram que apenas 20% do pessoal vai trabalhar, como parte da escala mínima de serviço.

Acabou o Natal. Acabou tudo", diz mãe da adolescente atropelada no Olho d'Água


Urânia Socorro Alves, mãe da adolescente, tenta resumir o desconsolo de ter perdido para sempre a mais nova de três filhas (NEIDSON MOREIRA/OIMP/D.A PRESS)
Urânia Socorro Alves, mãe da adolescente, tenta resumir o desconsolo de ter perdido para sempre a mais nova de três filhas
Urânia Socorro Alves, mãe da adolescente, tenta resumir o desconsolo de ter perdido para sempre a mais nova de três filhas (NEIDSON MOREIRA/OIMP/D.A PRESS)
Urânia Socorro Alves, mãe da adolescente, tenta resumir o desconsolo de ter perdido para sempre a mais nova de três filhas
A adolescente Larissa Alves dos Santos tinha planos de, no próximo dia 29, viajar com o pai para São Paulo e, em 5 de janeiro, comemorar o aniversário de 13 anos ao lado da madrinha, em Campinas. Mas a morte precoce e trágica a impediram de realizar o sonho. Um fim de semana antes do Natal, na madrugada do último domingo, Larissa foi fatalmente atropelada pelo funcionário público Jhon Willys Sousa de Lima, 31 anos, pouco depois de ter tomado um banho de mar com a irmã e um amigo, na Praia do Olho d’Água.

“Acabou o Natal. Acabou tudo.” Dessa forma, a dona de casa Urânia Socorro Alves tenta resumir o desconsolo de ter perdido para sempre a mais nova de três filhas. Urânia e Larissa se falaram pela última vez por telefone, na noite de sábado. A mãe tinha viajado à cidade natal, Capanema, no estado do Pará, para o aniversário de uma irmã, e ligou para ter notícias da família. Durante a conversa, a filha contou que queria ir a uma festa, mas Urânia a teria proibido.
Às cinco horas da manhã de domingo, a paraense recebeu uma chamada de familiares em São Luís, e, em choque, tomou conhecimento de que, poucas horas antes, Larissa tinha morrido instantaneamente na praia, depois de ser atropelada por um carro modelo Ômega preto, sem placas, dirigido por Jhon Willys de Lima. A outra filha, Cleane Cordeiro Alves, e um amigo que acompanhava as duas irmãs, também foram atingidos pelo veículo, mas foram medicados no atendimento de emergência do Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II), e não correm risco de morte.

Larissa nasceu e morou com a família em Campinas, até se mudarem para São Luís, há cerca de nove meses. Segundo Urânia, as filhas se sentiam seguras na capital maranhense, pois, em São Paulo, ambas ficavam muito tempo dentro de casa, com receio da violência urbana. “Lá elas não viveram, porque a gente tinha que viver presa”, recorda. A pesar da sensação de liberdade que tinham Larissa e Cleane, disse Urânia, as duas nunca permaneceram fora de casa até a madrugada.

Para a mãe da adolescente, é doloroso lembrar que Larissa tinha pedido para ambas viajarem juntas ao Pará, mas não teve o pedido satisfeito por ainda se encontrar em período de provas na escola. Apesar da dor da perda da caçula, Urânia ainda consegue encontrar consolo no fato de Cleane ter sobrevivido. “Pelo menos foi só uma, e podiam ter sido as duas”, revela.
Revoltados, os familiares de Larissa Alves dos Santos reclamam que alguma providência seja tomada pelo poder público, em relação à prática de rachas de carros nas praias. “Isso tem que acabar”, indigna-se Urânia, mas com a vontade de que outros casos como o de Larissa não se repitam. “Eu sei que não vou mais ter minha filha de volta, mas vou defender a vida das outras pessoas.”

DEPOIMENTO
O funcionário público Jhon Willys Sousa de Lima, lotado na Secretaria Municipal de Administração de São Luís, prestou depoimento sobre o incidente na madrugada de ontem, ao titular da Superintendência da Polícia Civil da Capital (SPCC), Sebastião Uchoa, e à delegada Edilúcia do Carmo Chaves Trindade, que desde ontem substitui o superintendente no cargo, durante as férias dele.

De acordo com Sebastião Uchoa, a oitiva preliminar do motorista foi acompanhada por dois advogados, e ocorreu na SPCC por conta do forte clima de comoção que envolvia o incidente. Chorando muito, o depoente teria dito que, no momento do atropelamento, ele vinha de uma festa no Rio Poty Hotel, no bairro Ponta D’Areia, e seguia para o Caranguejo Bar.

Jhon Willys admitiu já ter participado de rachas de carros em outras ocasiões, e que comprou o veículo Ômega preto, sem placas, para participar de campeonatos de manobras. O servidor público, que reside no bairro Planalto Anil II, também é proprietário de um Chevrolet modelo S-10. Sebastião Uchoa disse que Jhon Willys não tinha consumido bebidas alcoólicas, pois o mesmo se encontra em tratamento de quimioterapia contra um câncer.

Jhon Willys afirmou que o veículo se encontrava a uma velocidade entre 60 e 70 quilômetros por hora, e que ele não tinha avistado o grupo de pessoas na areia. O motorista disse ter sido surpreendido pelo impacto da adolescente se chocando contra o para-brisa do carro, mas que não voltou para prestar socorro à vítima com medo de sofrer um linchamento. O carro e a carteira de habilitação do motorista foram apreendidos.

O caso foi encaminhado para a Delegacia de Acidentes de Trânsito (DAT), e o inquérito instaurado pela delegada Ana Claudia Campos da Silva Melo. Até o início da tarde, a responsável pelas investigações já tinha colhido o depoimento de duas testemunhas, e encaminhado intimações para o pai de Larissa, o cozinheiro Arlindo Macedo Alves, e o motorista do carro que atropelou Larissa, Jhon Willys Sousa de Lima, para comparecerem à DAT. O inquérito tem o prazo de 30 dias para ser concluído e remetido ao Poder Judiciário.

Polícia prende quadrilha que realizava assaltos no Maiobão

Um trabalho conjunto do Serviço Velado da Polícia Militar e da equipe de policiais civis da Delegacia Especial do Maiobão conseguiu prender uma quadrilha que estava realizando inúmeros assaltos em Paço do Lumiar, com a suspeita de roubo de motocicletas no Maiobão e áreas vizinhas.

Foram presos: Fábio Gomes de Oliveira, 22 anos; Railson Carlos da Conceição dos Santos, 20 anos; Arlison Vanilson de Sousa Ferreira, 20 anos; Wanderson Alves Ribiero, 20 anos e um adolescente de 16 anos

Ainda durante essa captura, a polícia apreendeu um revólver calibre 22, uma cartucheira calibre 20, dois celulares, um capacete preto e um retrovisor de moto.

O policial civil Jean Kardec disse que os conduzidos são suspeitos de vários assaltos e estavam sendo monitorandos há algum tempo.

Na manhã de hoje (21), a polícia conseguiu efetuar a prisão dos suspeitos por meio de denúncias anônimas e do Disque Denúncia ( 3223-5800).

Morte misteriosa no Conjuto São Raimundo

Uma morte misteriosa ocorreu no final da manhã desta quarta-feira (21), no Residencial Cannã, no Conjunto São Raimundo. Fábio Silva Santana, 29 anos, foi executado por homens, não identificados, que estavam dentro de um carro preto.

Segundo informações da assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública, a vítima transitava pela Avenida João Castelo quando foi abordado pelos homens.

A vítima faleceu no local. O corpo da vítima foi levada para o Instituto Médico Legal ( IML).

O caso será apurado pela equipe da delegacia do São Raimundo, sob o comando do delgado Amarildo Passos.

Coroadinho é considerado a quarta maior favela do Brasil

O Coroadinho com uma população de 53.945 pessoas ocupa atualmente a 4ª posição no ranking nacional das maiores favelas do Brasil, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Com esses índices o bairro, da capital maranhense, ficou colocado como a maior favela de todo Norte-Nordeste.

Um total de 11.425.644 de pessoas, o equivalente a 6% da população do país, ou pouco mais que a população inteira de Portugal ou mais de três vezes a do Uruguai. Esse é o total de quem vive, atualmente, no Brasil em aglomerados subnormais, nome técnico dado pelo IBGE para designar locais como favelas, invasões e comunidades com, no mínimo, 51 domicílios.

O número foi divulgado nesta quarta-feira (21) pelo instituto como complemento ao Censo 2010, do final de abril deste ano. Além do mínimo de moradias, outro critério-chave para classificar essas áreas como aglomerados subnormais é carência: com origem em ocupações de locais públicos ou particulares, a maioria sofre a falta ou a inadequação de serviços públicos de qualidade, além de, em geral, estarem dispostas densa e desordenadamente.

O contingente identificado pelos pesquisadores em todo o Brasil está em pouco mais de 3,224 milhões de domicílios, a maioria, 49,8%, na região Sudeste –com destaque para os Estados de São Paulo, com 23,2% dos domicílios, e Rio de Janeiro, com 19,1%. Em toda a região, são mais de 5,580 milhões vivendo nesses aglomerados.

Em população, o território paulista apresentou um total de pouco mais de 2,715 milhões de moradores em áreas carentes, diante de aproximadamente 2 milhões no Estado do Rio. Em Minas Gerais, são 598.731 moradores nessas condições; no Espírito Santo, 243.327.

A região Nordeste é a segunda com maior número de moradores em comunidades carentes: são 3.198.061 de pessoas ou 28,7% do total nacional; a maioria, nos Estados da Bahia (970.940) e Pernambuco (875.378). O Norte vem na sequência, com 14,4% ou 1.849.604 de pessoas --a grande maioria, 1.267.159 (10,1%), no Pará.

O Sul aparece no mapeamento como a quarta região com mais comunidades carentes, 5,3% ou 590.500, mais da metade, 297.540, no Rio Grande do Sul. Em último lugar vem o Centro-Oeste, com 206.610 pessoas ou 1,8% do total nacional nos aglomerados subnormais –133.556, apenas no Distrito Federal.

Regiões metropolitanas
De acordo com o censo das áreas carentes, a maioria esmagadora de seus domicílios está concentrada em um grupo de 20 regiões metropolitanas (RMs) - são 88,6%, ao todo, sobretudo na RM de São Paulo (596.479 pessoas), na do Rio (520.260), de Belém (291.771), Salvador (290.488) e Recife (249.432).

Segundo os pesquisadores, uma explicação possível para a presença maciça de favelas nas regiões metropolitanas com mais de um milhão de habitantes é a concentração demográfica e a maior oferta de emprego no município-núcleo --não necessariamente, ainda que na maior parte das vezes, uma capital.

Tipos de ocupação e intervenções necessárias
O estudo identificou tipos diferentes de aglomerados conforme região e Estado, bem como nomenclaturas. No Rio, por exemplo, as favelas estão localizadas principalmente em encostas íngremes; em Fortaleza, em áreas de praia.

Em Maceió, as áreas estão predominantemente em vales profundos, conhecidos na região como grotas. Já em Macapá, essas comunidades ficam em baixadas permanentemente inundadas, chamadas palafitas. Em Cubatão (SP), a localização é em manguezais; em Manaus, em igarapés e encostas.

No caso do Rio de Janeiro, onde está a favela mais populosa do país -a Rocinha , o IBGE apontou que as ocupações mais antigas ficavam na região central e proximidades, pois é onde há oferta maior de trabalho.

Em São Paulo, Estado com maior número de moradores em aglomerados subnormais, os pesquisadores destacaram predomínio de favelas de pequeno porte, distantes da área central.

Em Belém, o perfil dominante é o de ocupação, com alta densidade, de baixadas junto ao rio Guamá, próximas ao centro e sujeitas a inundações periódicas, mas com ruas e acesso às casas no interior, por meio de grandes quadras, becos e vielas. Já as ocupações mais recentes estão mais distantes, no norte do município.

Entre as intervenções apontadas como necessárias, para grandes aglomerados o estudo indica “profundas” ações que vão desde as melhorias de acessibilidade ao local de moradia, como a construção de planos inclinados, teleféricos ou a abertura de ruas, até o aumento de redes de água, esgoto e energia.

Em aglomerados menores, porém, boa parte fica em loteamentos e áreas que não podem receber edificações, como margem de córregos –e justamente onde as inundações são mais frequentes.

O Estudo
O primeiro levantamento sobre as favelas no país foi feito pelo IBGE em 1953, no estudo “As favelas do Distrito Federal e o Censo Demográfico de 1950”. O termo aglomerados subnormais, porém, só passou a ser adotado em 1987, usado no Censo de 1991 e no de 2000.

É a partir do Censo 2010, contudo, que os tipos mais diversos de aglomerados são analisados, uma vez que inovações tecnológicas e de método de trabalho, de acordo com o instituto, tornaram a pesquisa mais aprimorada –sobretudo pelo uso de imagens de satélite e GPS.

Por este motivo, explicaram os pesquisadores, não é possível comparar de forma linear o número de moradores em aglomerados do tipo em 2000, 6.535.634, com os mais de 11 milhões atuais.

Há uma década, porém, São Paulo (2.071.117 de pessoas) e Rio de Janeiro (1.387.889) já despontavam como as áreas mais populosas desses aglomerados.

Já áreas de aglomerados contíguos, localizados dentro das áreas analisadas, mas fora do padrão de um mínimo de 51 domicílios, não foram analisadas. Em função disso, alertam os pesquisadores do IBGE, números de moradores de favelas divulgados por Estados ou municípios podem soar destoantes daqueles divulgados pelo Censo.

Suspensa a retirada de óleo do navio Vale Beijing

A operadora do Vale Beijing, a sul-coreana STX Pan Ocean, pediu suspensão da retirada de óleo do navio. Diante do pedido, a operação de retirada de 2,5 mil toneladas de óleo diesel e óleo bruto, que estão nos tanques de combustível está temporariamente sem data prevista para acontecer.

O motivo do adiamento é que alguns equipamentos necessários para a realização da operação, como um scanner a prova d’água e uma barreira móvel para evitar alastramento de vazamentos de derivados de petróleo, ainda não chegaram ao Maranhão.

O navio chegou a receber 263,4 mil toneladas de minério e 7,5 mil toneladas de derivados de petróleo antes do incidente e apresentou um desnivelamento de quatro metros entre a popa (parte traseira do navio) e a proa (parte dianteira da embarcação) por causa do volume de água que entrou no tanque rachado.

Um inquérito administrativo foi aberto pelos militares para investigar as causas do incidente, logo depois que as rachaduras foram percebidas: trabalha-se com hipótese de erro na operação de embarque de carga, problemas na construção do navio, que estava em sua primeira viagem, e fadiga do material. Ao mesmo tempo o Ibama notificou o armador sul-coreano e passou a monitorar a embarcação. Nenhum vazamento de óleo ou da carga de minério de ferro foi detectado.

Três pessoas são pegas em cartório do Araçagy acusadas de grilagem

Na tarde de hoje (21), por volta das 17h, uma pessoa foi presa em um cartório no bairro do Araçagy quando tentava vender um lote, também localizado no bairro, que não era de sua propriedade.

Além da prisão em flagrante, foram apreendidos documentos que comprovam as transações ilegais.

Além da pessoa que foi presa, mais duas pessoas foram conduzidas à Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) para constatação de participação no crime.

Moradores reclamam que filha de vereador mora em estádio no MA

Só pertences pessoais da família estão no local, dizem vereador e jovem. Imagem mostra cozinha em vestiário; prefeito diz que tomará providências.
Tahiane Stochero Do G1, em São Paulo

Moradores da cidade de Lago do Junco, com pouco mais de 10 mil habitantes, no Maranhão, reclamam que o vereador Romildo Duarte dos Santos “colocou a filha para morar” com o marido e duas crianças no vestiário do estádio municipal. O vereador e a filha confirmaram ao G1 que as coisas da família estão no local, mas disseram que quem mora lá é apenas o marido da jovem, responsável pela organização e limpeza do estádio, e que isso ocorreu porque a filha teve de entregar a casa que alugava.
Um morador, que pediu para não ser idenficiado, contestou a informação, afirmando que um grupo está organizando um abaixo-assinado pedindo a saída da família do local público.
“Eu não estou morando lá, só as minhas coisas estão lá. Guardei no vestiário porque estava abandonado e não tinha ninguém cuidando. Meu marido fica lá durante o dia, porque é vigia. Somos como zeladores do local. Mas todo mundo sabe que eu durmo, almoço e janto na casa do meu pai”, disse a filha do vereador Santos, Randyerre Duarte.
Morador fotografou vestiário do estádio de Lago do Junco onde foi colocado fogão, armários e mesa da família da filha de vereador (Foto: Vc no G1)
“Ela (a filha) não está morando totalmente lá, ela dorme na minha casa com as crianças, porque tem medo. O meu genro é que cuida do estádio, ele é responsável pelos jogos e fica mais lá. O que colocamos no vestiário são as coisas deles, móveis, como mesa, geladeira, que não temos lugar para colocar”, acrescentou o vereador Santos.
Já o prefeito Haroldo Euvaldo Brito Leda diz, porém, que a população está reclamando e que tomará “providências”, como emprestar uma casa para o casal morar temporariamente.
“As pessoas estão interpretando como uma ocupação, mas não é bem desta maneira. O marido dela cuida de toda a parte de esportes da cidade e eles colocaram as coisas lá, mas não tem nem estrutura para alguém morar lá direito”, afirmou o prefeito.
Criação de porco
Vereador confirmou que família cria porcos em área nas dependências do estádio municipal. (Foto: Vc no G1)
Fotos enviadas por moradores mostram roupas estendidas em um varal e comida sobre a mesa, em uma cozinha organizada. O vereador Santos confirmou que o casal cria um porco no local. “É uma área grande que tem nos fundos, onde eles criam alguns animais”, disse.
“Eu sei que isso pode dar problema para mim, pode ser improbidade, porque é um local do povo. Mas o estádio não é usado com tanta frequência e é um local provisório. Pretendo construir uma casa para ela”, aponta ele.
Já os moradores contestam: “Quando os times locais jogam, são obrigados a usar só um dos vestiários porque, no outro, a família vive”, disse uma pessoa. A versão do vereador é que há outros dois vestiários disponíveis para os atletas e que a família da filha só levou os pertences para lá em agosto, após o término do campeonado municipal.
Abaixo-assinado
Local onde seria varal da família (Foto: Vc no G1)
Vereador da oposição, Pedro Souza Catingueiro Junior aponta que a Câmara Legislativa da cidade recebeu reclamações de moradores sobre a situação irregular no estádio e que algumas pessoas o procuraram também para informar sobre o abaixo-assinado.
“Estamos verificando o que ocorre e o que pode ser feito. O estádio continua a funcionar normalmente, mas a mulher (a filha de Santos) mora lá”, afirmou Catingueiro.
“Isso para mim é até humilhante, um constrangimento. Vou buscar uma alternativa”, respondeu o vereador Santos.

Tribunal de Justiça do DF cuidará de Fernando Sarney

Naira Trindade _Brasília247 – O Superior Tribunal de Justiça devolveu ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) a competência de julgar a censura ao jornal Estado de São Paulo. O veículo está proibido de publicar informações sobre a Operação Boi Barrica, da Polícia Federal, e sobre familiares de Sarney desde 2009. Em decisão monocrática, nesta segunda-feira (19) o ministro Raul Araújo, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), alegou não haver interesse da União “na demanda inibitória, instaurada, entre particulares, com vistas a proteger o direito à intimidade”.
Na decisão, Araújo frisa que a “Justiça Federal é absolutamente incompetente para julgar demanda entre particulares, o que também impede se cogite, na hipótese, da prorrogação da competência por conexão”. E que “a questão ora posta, em princípio, não tinha porque ser sujeita à Justiça Federal se a União não comporia – como não compôs, nem compõe – a presente relação processual.”
Em 2009, Fernando Sarney, que é filho do presidente do Senado, José Sarney, obteve liminar do desembargador do TJDFT Dácio Vieira que proibia o jornal de divulgar gravações obtidas na operação da Polícia Federal. Quatro meses depois de entrar com a liminar, Sarney Filho voltou atrás liberando as publicações, mas o jornal recorreu do arquivamento para que o mérito fosse julgado.
À época, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal transferiu o caso para a Justiça do Maranhão alegando ser competência daquele Tribunal julgar a censura, uma vez que o inquérito policial contra o empresário fora instaurado naquele estado. Mas o Estadão recorreu do envio da remessa ao Maranhão alegando estar em desacordo com a mudança e que ela somente poderia ocorrer caso o jornal também tivesse interesse.
Em abril de 2010, o recurso do Estadão foi distribuído ao STJ, ficando a cargo do ministro Benedito Gonçalves até agosto deste ano, quando ele entendeu que sua seção de Direito Público era incompetente para julgar a matéria, como mostra reportagem da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). O caso foi, então, redistribuído, caindo nas mãos do ministro Raul Araújo.
Operação Boi Barrica
As provas de investigações colhidas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público durante a Operação Boi Barrica acabaram anuladas pelo Superior Tribunal de Justiça em setembro deste ano. A operação consistia em investigar o crime de tráfico de influência cometido pelo empresário filho de Sarney. As escutas flagraram uma conversa em que Fernando articulava arrumar emprego para aliados no comando da Eletrobrás, estatal ligada ao Ministério de Minas e Energia.
No diálogo, Fernando Sarney dizia que assim que saíssem as nomeações, o pai, José Sarney, liberaria as verbas de patrocínio a entidades privadas ligadas à família. Mas os ministros alegaram que as quebras de sigilos bancários, fiscais ou telefônicos não estavam em acordo com a Constituição Federal, o que as tornariam inválidas perante a Justiça.

Traficante é preso pela polícia na comunidade de Nova Jerusalém

Tairan Ribeiro, 19 anos, foi preso pela polícia militar no início da tarde de terça-feira (06). Tairan é considerado pela policia codoense como traficante perigoso e carrega com ele uma série de crimes, além do tráfico, entre eles assaltos e homicídios.
Tairan era um dos traficantes que abastecia a região com drogas, principalmente na comunidade de Nova Jerusalém onde foi preso. A prisão do traficante foi uma verdadeira ação de caça ao bandido. Tairan foi capturado em uma residência no bairro, escondido debaixo de colchões. Com ele a policia encontrou armas brancas, dinheiro em espécie e drogas.
Após a prisão do traficante, a PM descobriu que Tairan já havia tentado com a vida de outra pessoa por causa de dívida de drogas. A vitima foi José Moreira que disse dever cem reais ao traficante. Durante discussão, Tairan desferiu um golpe de faca nas costas de José Moreira, de 28 anos.
Em entrevista a imprensa, Tairan disse que acertou a vítima com golpes de faca porque o mesmo lhe teria alvejado com pedradas, mas não soube explicar a razão da agressão de José.
A vítima segue internada no Hospital Municipal e o traficante continua preso na 4ª Delegacia de Polícia Civil de Codó-MA.

MP determina: Festas de fim de ano em Codó terão que acabar às 2h da manhã

A provocação para que a limitação de horário ocorresse partiu do comando da PM de Codó porque, segundo o major Jairo Xavier, quanto mais tarde termina a festa, maior a probabilidade dela terminar em ocorrência policial.
 ‘Com a prorrogação de horário existem os excessos e na maioria desses excesso termina em ocorrência policial, então visando preservar a vida das pessoas a Polícia Militar fez gestão neste sentido e o Ministério Público acolheu com bons olhos”, disse o comandante ao blogdoacelio
Os três promotores (Gilberto Câmara, Tharles Cunha e Leonardo Modesto)  assinaram a recomendação e a direcionaram para as autoridades policiais (civis e militares) do município, com o aval da Justiça.
COMO VAI FICAR
Para expedir a recomendação os promotores levaram em consideração o grande número de festas que, certamente, ocorrerá  neste fim de ano e o consequente aumento da criminalidade registrado no período. A forma encontrada para tentar evitar maiores problemas foi limitar o horário destes eventos.
Até o mês de janeiro, as licenças concedidas na delegacia de polícia terão previsão de término até às 2h da madrugada. Excessão apenas para o dia do réveillon, quando a festa poderá terminar às 3 da manhã.
 “E aqueles outros  casos que estiverem fazendo festa, agora virou moda, toda ponta de rua quer fazer festa, interditar via sem informar as autoridades, gerando demanda de ocorrências policiais, se não tiver licença zero hora será encerrada”, completou o major
OPINIÃO DIVIDIDA
Quem vai fechar a festa  que exceder ao horário é a própria Polícia Militar, do contrário a autoridade poderá ser responsabilizada, inclusive, penalmente. Nas ruas a medida, divide opiniões.
O pedreiro, José Alves dos Santos, entende que não deveria ter tal limitação “Eu sou contra isso daí, mas já que eles são autoridades, fazer o quê…PRA VOCÊ TINHA QUE SER ATÉ QUE HORAS? Até 5 horas da manhã, brincava bom demais, sossegado, na santa paz”, disse
Outros como o agricultor Genival José da Silva, são completamente a favor.
“dá confusão, uma bebedeira, um abuso, brigar, desacatar uns aos outros, né, briga, então termina cedo, cedo eles puxam pra fora…O SENHOR É FAVOR? Sou a favor”.

Vereadores confessam plano de demissão em massa na Câmara de Codó

Tirando como base as declarações do vereador Pedro Belo, captadas pelo blogdoacelio numa reportagem de Ramíria Santiago (TV Palmeira do Norte), desde a administração de Antonio Saruê que nossa Câmara vem ‘pendengando’ no quesito saúde financeira.
Ocorre que, pela Lei de Responsabilidade Fiscal, os recursos do Poder Legislativo só podem ser utilizados até 70% para pagamento de pessoal. Na tentativa de equilibrar a balança, já houve cortes de salários e, segundo Pedro, não é de hoje que a guerra vem sendo travada, internamente,  para que os presidentes não se tornem inelegíveis por desrespeitar a legislação.
“Nós tivemos um problema sério com o vereador Saruê, no oitavo mês de mandato nós tivemos que reduzir o salário de vereadores, de alguns funcionários em função que não iríamos fechar, nós íamos fechar a mais de 70% e isso deixava o presidente inelegível, o ano seguinte foi um problema e esse ano vem acontecendo a mesma coisa”, confessou ele completando seu raciocínio “Corre o risco do presidente Figueiredo Junior, o presidente João de Deus, dessa Casa, o presidente Zaidan, corre o risco também de ficar inelegível em função de não atender a Lei de Responsabilidade Fiscal com 70% pra ser gasto com pessoal”.
AVISO DE JOÃO
O vereador João de Deus, ex-presidente, já havia levantado a questão e fora criticado por seus pares, e por parte da imprensa, quando fez cortes salariais, inclusive de R$ 1.000,00 no seu abono de presidente, para não extrapolar o limite.
Poucos quiseram entender a questão e mesmo alguns que entenderam se fizeram de doidos só para fazer  parecer que existia dinheiro sobrando e João queria  apenas aparecer fazendo cortes. Como pimenta no dos outros é refresco, alguns de seus colegas de parlamento apostaram na queimação do ex-presidente.
PLANO DE DEMISSÃO
Agora é Figueiredo Junior quem estar com a corda no pescoço e com o tamborete por um triz debaixo dos pés. Tanto é verdade que chegou a rolar, na surdina, um plano para demitir 11 chefes de gabinetes. Ele mesmo confessou a repórter que o projeto existiu, mas foi engavetado quando chegaram a conclusão de que não valeria a pena.
O não valeria a pena ‘deles’ quer dizer exatamente mais de R$  12.000,00 a menos de gastos com pessoal todo mês. Figueiredo argumentou que o projeto existiu, mas nem chegou a tramitar pelas comissões da Casa.
“Tem que ser aplicado até 70% com pagamento de pessoal e essa folha de chefe de gabinete ela onera muito esses 70%, foi uma saída que nós vimos, planejamos, conversamos com vereadores, mas como partimos para a questão do Imposto de Renda que iria incidir caso botássemos de outra forma nos gabinetes dos vereadores esses salários, essas pessoas não iriam, com certeza, demitidas, passariam a receber de outra maneira, nós retiramos esse projeto sem sequer ele ter sido apreciado nas comissões”, disse
VAZAMENTO DE INFORMAÇÃO
O atual presidente mostrou-se surpreso com o vazamento da informação de que o plano de demissão existiu. Ele foi denunciado pelo programa Codó Acontece, com Edmilson Filho.
“Não sei como vocês da imprensa tiveram acesso à este projeto e foi falado que nós iríamos deixar 11 pais de família desempregado, não foi o nosso pensamento” alegou
A AMEAÇA CONTINUA
Pedro Belo afirmou que ainda não se tem uma solução pronta, isso mostra ao blogdoacelio e aos seus leitores mais atentos  que o problema de contenção de gastos continua podendo ser a demissão de funcionários a saída mais viável quando o recesso terminar, afinal é a pele dos presidentes que está assando e pode ficar bem queimadinha caso os 70% não sejam respeitados.
“Então nossa preocupação hoje é essa, nós estamos sentando com contador, tentando criar metodologias, uma maneira para enxugar este recurso que é destinado a pagamento de pessoal na Câmara pra que a gente não passe dos 70%”, concluiu Pedro Belo.

Professores fazem manifestação em frente à prefeitura

Ontem (20/12), professores da rede municipal se reuniram em frente à prefeitura para mais uma etapa de cobranças ao poder público.
A praça que está enfeitada para o natal, ganhou nova ornamentação nesta terça-feira (20). Os professores espalharam faixas com frases de repúdio e cobranças direcionadas a administração.
O motivo pelo qual os educadores foram novamente reivindicar na Praça Ferreira Bayma não se trata de uma questão nova, é uma manifestação que vem sendo realizada desde o início do ano, quando a União repassou cerca de 3 milhões e meio reais do FUNDEB para serem investidos na educação e repassado o restante para a categoria.
Os professores querem explicação sobre os gastos do governo, onde foram aplicados os recursos e se haverá de fato a chamada sobra para os educadores que atuam no ensino público do município.
O fato novo da manifestação refere-se à redução da carga horaria, hoje de 25h semanais. O sindicato defende que o tempo de serviço na semana caia para 17h.
O blog procurou a assessoria da prefeitura para falar sobre o assunto. A procuradoria do município disse que ainda hoje se posicionaria sobre a manifestação dos professores.

Acusados de arrombamentos em caixas eletrônicos são presos em ação da Polícia Militar

São Luís - Policiais do Serviço de Inteligência do 9º Batalhão de Polícia Militar prenderam nessa segunda-feira (19) quatro homens portando materiais usados em arrombamentos de caixas eletrônicos e estabelecimentos comerciais.
Foram presos Deivid dos Santos, de 28 anos, natural de Imperatriz; José Orlando Maia Amorim, de 25 anos, e seu irmão, Ronaldo Maia Amorim, de 22 anos, ambos naturais de São Luís; e Ricardo Bruno da Silva Neves, de 27 anos, natural do estado do Pará. Eles foram presos em uma residência no bairro Vila Mauro Fecury II.
A prisão ocorreu após um trabalho de investigação do 9º BPM, que vinha monitorando a atuação da quadrilha acusada de praticar vários arrombamentos a caixas eletrônicos da capital.
Com base nas investigações, a polícia identificou, na Rua Silvio Carvalho, Vila Mauro Fecury, a residência de José Orlando. Na casa, a PM apreendeu uma pistola calibre 380 de numeração raspada com 11 munições intactas, um botijão de gás, um maçarico e uma broca. Também foram apreendidos dois veículos, sendo um Corsa Classic de placa NHA-0668, e uma moto Broz 150 de placa NWU-0797.
De acordo com a polícia, a quadrilha é responsável por vários crimes de arrombamentos a caixas eletrônicos na capital. Somente José Orlando não tem passagem pela polícia. Os demais respondem a mandados de prisão na 2ª Vara Criminal de São Luís por roubo qualificado.
Após a prisão, os acusados foram levados à Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), onde foram ouvidos pelo delegado Rafael Sousa Leite. Eles ficarão à disposição da Justiça.

Dupla faz “arrastão” na Praça da Cultura

Nos últimos dias está acontecendo uma grande movimentação na Praça da Cultura com a chegada do “Papai Noel” e a distribuição de presentes, um trabalho administrado pela Prefeitura de Imperatriz.
Isso tem feito com que as pessoas movimentem a praça, com os pais acompanhando os filhos, como também a presença de turistas que se encontram em Imperatriz para o Natal e Ano Novo.
Essa movimentação também chamou a atenção dos marginais, que passaram a frequentar a praça. Na última segunda-feira (19), uma dupla realizou um “arrastão” no local, roubando, sob ameaça de arma de fogo, máquinas fotográficas, câmaras de vídeo, joias, bolsas e dinheiro das pessoas que se encontravam se divertindo.
Segundo informações chegadas a O PROGRESSO, mesmo diante da movimentação grande, a Praça da Cultura não está tendo policiamento ostensivo e os marginais estão aproveitando-se da situação.
Outra informação passada é que a Praça da Cultura está virando uma verdadeira cracolândia. Pessoas são vistas cheirando cocaína, fumando crack, principalmente nos finais de semana. A Praça da Cultura está também servindo de banheiro para os vários moradores de rua que estão morando na praça, principalmente no coreto, que já foi limpo pela Prefeitura Municipal várias vezes e eles voltam a sujá-lo.
Pessoas estão também denunciando que frequentadores de um bar se embriagam e fazem algazarra até o dia amanhecer. Já teve caso em que uma jovem saiu praticamente nua na garupa de uma motocicleta.
Os moradores da área e as pessoas que frequentam a praça estão pedindo socorro à Polícia Militar para o combate ao que vem ocorrendo no local.

Chico Anísio recebe alta e passará Natal com a família

Conforme sua mulher, Malga di Paula, havia previsto dez dias atrás, o humorista Chico Anísio passará o Natal em casa. Ele estava internado no Hospital Samaritano do Rio de Janeiro desde o último dia 30 de novembro, em virtude de uma infecção urinária, e recebeu alta no início da tarde desta quarta-feira (21), confirmou sua assessoria.
"Deu tudo certo e ele está ótimo. Vai passar as festividades de final de ano com a família", garantiu ao Terra a representante do ator. Chico já havia sido hospitalizado anteriormente em 2011 devido a problemas cardiorrespiratórios. Na ocasião, ficou três meses em observação no mesmo local.
Pouco antes da mais recente internação, já no mês de novembro, o humorista, que completa 81 anos em abril, havia passado cinco dias no hospital por conta de outros problemas, dessa vez na coluna

PM intensifica policiamento ostensivo no centro comercial

PM intensifica policiamento ostensivo no centro comercialA Polícia Militar intensificou nessa terça-feira (20) o policiamento ostensivo no centro comercial de Imperatriz, na área compreendida entre a Praça de Fátima e os dois calçadões.
O Tenente Coronel Aldimar Zanoni Porto, comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar (3º BPM), informou a O PROGRESSO que em função da grande movimentação de pessoas, que praticamente triplicou desde a última segunda-feira (19), o policiamento ostensivo foi intensificado para combater os ladrões, principalmente os batedores de carteiras e bolsas. A determinação é para que o combate à venda de brinquedos e CDs piratas também seja feito com rigor.
Os policiais se agruparam no fim da tarde em frente ao trailler na Praça de Fátima. Após traçarem estratégias para o serviço de policiamento ostensivo, foram para os dois calçadões.
De acordo com o comandante do 3º BPM, no período de compras natalinas aumenta o fluxo de pessoas. Com isso, há sempre o risco de ações criminosas.
O efetivo de policiais militares que estão nas ruas do centro comercial e dos bairros neste período é de 80 homens dia, incluindo o Esquadrão de Polícia Montada (EPMONT).
O policiamento é a base da operação, fixado com o contato com a comunidade, orientação e dicas de prevenção, além da proximidade com os comerciantes.
Estão sendo realizadas neste período natalino operações saturação (concentração de policiais nos centros comerciais), blitzes preventivas e repressivas nas vias de acesso à área central e bairros, corredores de segurança nas principais avenidas da cidade, entre outras.