segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Três jovens são assassinados em SL

Mais três jovens foram assassinados, durante o final de semana, em São Luís. Rafael Santos Pinheiro, de 29 anos, morador da Vila Ariri, no bairro Anjo da Guarda, foi morto com dois tiros, um na cabeça e outro na perna direita. Este crime aconteceu no sábado à tarde, no bairro Cohatrac, e os suspeitos, identificados como Breno e Jean, ainda não foram presos.
Também no sábado, ocorreu o homicídio de Werberth Moreno Silva, de 27 anos. De acordo com a polícia, o rapaz sofreu espancamento no bairro São Francisco e foi levado às pressas para o Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I), onde faleceu. Ele morava na Rua 19, Quadra 22, casa 11, no Ipem-Turu.
Antonio Aldair Sousa de Oliveira, de 21 anos, foi vítima de um golpe de faca no momento em que se encontrava em um bar. Morador da Rua Getúlio Vargas, na Vila Mauro Fecury I, Antonio Aldair ainda foi levado para o Socorrão I, mas não resistiu à gravidade do ferimento e faleceu.
Feriadão - Três corpos de vítimas de homicídios deram entrada no Instituto Médico Legal (IML) de São Luís, entre quinta-feira (1º) e o fim da manhã de sábado (3). O primeiro, de um adolescente de 16 anos, Erick Milton Caldas Dias, veio procedente do Hospital Maternidade, de São José de Ribamar, às 18h35 de quinta. Vítima de arma de fogo, Erick morava na Rua 1º de Novembro, s/n, no Bairro Sarnambi.
Na sexta-feira (2), por volta das 19h, deu entrada no IML o corpo de Carlos André Viegas dos Santos, de 28 anos, procedente do Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão 1).
Segundo informações, um grupo teria invadido a residência da vítima, situada na Rua Pernambuco, s/n, Vila São Luís, e efetuado oito disparos de pistola ponto 40 contra Carlos André.
Na madrugada de sábado (3), por volta das 4h, também procedente do Socorrão 1, chegou ao IML o corpo de Afonso Américo Diniz, de 25 anos, morto com várias facadas.
Ele morava na Rua Principal, nº 303, no Bairro do Tibirizinho. A polícia apurou que Afonso teria se envolvido numa briga, na última quinta-feira, e que seu assassinato seria resultado de um provável acerto de contas.

Ex-prefeito de Pio XII terá que devolver recursos ao município

O atual prefeito de Pio XII ajuizou ação de ressarcimento.
 
SÃO LUÍS - O ex-prefeito de Pio XII, Raimundo Nonato Jansen Veloso, foi condenado a devolver aos cofres municipais o valor de R$ 138 mil, provenientes de convênios celebrados com o Ministério da Saúde. A decisão, mantendo a determinação do pagamento, foi da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA).

O atual prefeito de Pio XII ajuizou ação de ressarcimento, argumentando que o ex-gestor teria aplicado irregularmente as verbas federais e não prestado as contas dos convênios, prejudicando o município que se tornou inadimplente e impedido de receber novas verbas.

O ex-prefeito alegou em recurso ausência do dever de ressarcir o erário por falta de dano, uma vez que o dinheiro público teria sido revertido em prol da própria coletividade, tendo sido remanejado para um povoado mais necessitado que o constante do convênio.

A relatora do processo, desembargadora Raimunda Bezerra, entendeu caracterizado o ato de improbidade administrativa pela ausência de prestação de contas e desvio de finalidade das verbas, impossibilitando o município de celebrar novos convênios.

Ela ressaltou que recursos destinados à execução de convênios são de natureza vinculada, destinados exclusivamente para a finalidade específica, não podendo ser empregados em outro propósito. “A conduta dolosa está caracterizada pela vontade livre e consciente de agir em desacordo com a lei”, disse a desembargadora em seu voto.

O entendimento da magistrada foi acompanhado pelos desembargadores Kleber Carvalho e Jorge Rachid.

Incêndio destrói parte da área de treinamento da PM

O Corpo de Bombeiros já chegou ao local e controlou o fogo.
SÃO LUÍS – Por volta das 12h30, desta segunda-feira (5), um incêndio tomou conta de uma área de vegetação do quartel do Comando Geral da Polícia Militar do Maranhão, no Calhau.

O Corpo de Bombeiros já chegou ao local e controlou o fogo, que chegou a destruir parte da vegetação e alguns pneus usados no treinamento dos militares. A causa do incêndio ainda não foi revelada.

Após colisão, carro explode na BR-316 e deixa um morto

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) acredita que a culpa foi do motorista do carro pequeno.
 
CODÓ - Um caminhão carregado de frutas e verduras vinha de Teresina (PI), com destino à cidade de Viana, no Maranhão, na altura do povoado São Benedito, trecho da BR-316, entre Codó e Peritoró, colidiu com um carro de passeio (Fiat Uno), por volta do meio dia desta segunda-feira (5). A Polícia Rodoviária Federal (PRF) acredita que a culpa foi do motorista do carro pequeno. O motorista teria dormido e entrado em alta velocidade na contramão.

“Já que foi uma colisão frontal, o carro pequeno deve ter, sei lá, dormido ou outro motivo que levou ele a mão de direção e de encontro ao caminhão. O caminhão arrastou o veículo pequeno por alguns metros e o incêndio iniciou-se de imediato e, logo em seguida, o caminhão que estava parado, no acostamento, veio a tombar em função do incêndio”, disse o inspetor da PRF, Lindomar Rocha.

O homem que dirigia o Fiat Uno (sem placas até então), que ainda não foi identificado, morreu na hora, totalmente carbonizado. Marderson Erivelton Soares, de 20 anos, que auxiliava o caminhoneiro, conseguiu sair ileso. Já o motorista do caminhão foi levado para um hospital de Peritoró, mas está fora de perigo de morte.

Pessoas do povoado, próximo ao local do acidente, levaram as frutas e as verduras que não foram consumidas pelo fogo. “O auxiliar do condutor do caminhão disse que não teria interesse de recuperar a carga, então, em função disso, não fizemos nenhum obstáculo em relação às pessoas retirarem essa mercadoria, inclusive de cima da pista o que já facilitou o trânsito aqui da rodovia”, explicou o inspetor.

Seca faz 80 municípios maranhenses declararem situação de emergência


64 localidades do Maranhão sofrem com o problema da falta de chuvas e freqüentes queimadas. Secretaria Nacional de Defesa Civil envia recursos para amenizar situação.

 (Teresa Maia/DP/D.A Press)
Oitenta e oito municípios do Maranhão decretaram situação de emergência por causa da seca que atinge principalmente as cidades localizadas no centro, leste e na porção norte do estado. De acordo com o tenente-coronel da Defesa Civil do Estado, Celso Alves, destes 88 municípios que estão em situação de emergência, apenas 64 foi reconhecido pela Secretaria Nacional de Defesa Civil, por meio do Ministério da Integração Nacional do Governo Federal, para receber recursos destinados para a perfuração de poços, operação de carro pipa, cesta de alimentação e ração animal como forma de amenizar a problemática. Tais recursos foram liberados mediante projetos federais. “A produção agrícola está parada e isso causa perda quase total da produção, além disso, a água é escassa para o consumo e para a ração. O índice de chuva foi tão baixo que deu apenas para plantar, mas não nasceu, ou seja, não segurou, não germinou, é o que chamamos de seca verde”, contou o tenente-coronel, Celso Alves.

Ele disse ainda que as queimadas são também uma problemática que se agravam devido o clima seco e ainda a falta d’água para combater os pequenos focos que se alastram nos terrenos, causando grandes incêndios.“Além do clima propício, os moradores também são os causadores das queimadas, pois vão com a intenção de limpar uma pequena área utilizando o fogo, mas sem o uso adequado e com o vento, rapidamente, o fogo se alastra, prejudicando o meio ambiente, o trânsito e a saúde da população”, explicou o tenente-coronel, Celso Alves.

A falta d’ água não atinge apenas as pessoas, mas também os animais que perdem peso de forma rápida, adoecem e muitos morrem até nas queimadas, que na maioria das vezes, ocorrem com freqüência devido o clima seco nas regiões.

Esta estiagem é considerada como uma das mais intensas dos últimos anos e, com as queimadas, a situação se torna ainda mais preocupante.

As conseqüências da estiagem nas várias famílias de lavradores são muitas, entre elas a falta d’água e alimentação. Para a fauna maranhense a pior conseqüência é a morte de animais, que sem água e vegetação para se alimentarem não resistem, deixando vazios os pastos dos municípios. As queimadas provocadas pela seca colocam em risco a saúde de toda a população e a produção agrícola, que apresenta perda nas safras de arroz, milho e soja.

Para o presidente da Associação dos Criadores, José Assub, a estiagem prejudica o leilão que acontece todos os anos. O leilão foi adiado pela falta de interesse de compradores de animais. José alegou que não tem quem se interesse em comprar animais magros e maltratados pela seca. “O período seco afasta compradores que não querem adquiri animais doentes e magros. Muitos destes animais foram perdidos também nas queimadas, como bois e cavalos”, disse o presidente da Associação dos Criadores.

Assub contou também que ainda na semana passada um fazendeiro do interior do estado vendeu todo o seu gado por não ter como continuar com eles, já que com a falta de água só aumenta o prejuízo. “Nós não temos como fazer, apenas tentamos amenizar o problema. Não chove, não há água, fica difícil. O leilão foi adiado porque agora ninguém tem interesse em comprar animal nesse período seco. É uma tristeza esta situação. Tem fazendeiro mandando os gados da Bahia para o Maranhão, mas aqui a situação não está diferente da de lá, em Bacabal, por exemplo, nós nunca vimos algo parecido”, ressaltou Assub.

No município de Caxias, a Delegada da 4º Regional de Codó, Maria Tecla Cunha Costa, declarou que a situação é de grande emergência, pois com a seca as queimadas aumentam causando um grande risco ambiental, além de por em risco a vida dos cidadãos que contribuem para a população do município. A prefeitura de Caxias esta tomando as providências cabíveis para tentar amenizar a situação em que se encontra o município.

O prefeito Humberto Coutinho informou que a vegetação está bastante seca e as queimadas preocupa a administração municipal, pois com a alta temperatura o índice é maior e mais propício para ocorrer este problema. Os “açudes estão secando e os animais bastante magros”, explicou a delegada Tecla. Ela informou ainda que as providências para ajudar as famílias e animais já estão sendo tomadas, e que só resta aguardar. 

Mais seis mortes são registradas em São Luís nesse fim de semana

Este fim de semana foi marcado por mortes e prisões de menores de idade. Entre sábado (3) e a manhã deste domingo (4), seis pessoas tiveram a morte registrada no Plantão Central da Rffsa.

Os nomes registrados foram de Afonso Alonso Diniz, de 25 anos, vítima de arma branca; Emerson de Jesus Santos, de 25 anos, morador do Bairro de Fátima, vítima de afogamento; Rafael Santos Pinheiro, do Anjo da Guarda, assassinado com dois tiros (um na cabeça e outro na perna), no bairro do Cohatrac; Wellington Silva dos Santos, de 37 anos, foi vítima de arma branca; Herbert Moreno Silva, vítima de espancamento; e Paulo Cesar Silva Sousa, de 38 anos, que teve o corpo encontrado no Renascença I.

Além das mortes, três menores de idade foram presos por porte ilegal de arma: um de 17 anos, no Ipase; e dois outros adolescentes, também de 17 anos, e um de 14, que foram acusados de furtar duas mulheres na Praia Grande.

Mais um integrante de grupo de extermínio é preso


Dois homens apontados pela polícia como integrantes de grupo de extermínio e suspeitos de terem matado 187 pessoas já estão na capital. A polícia deve apresentá-los amanhã.

Borges Júnior
Publicação: 04/11/2012 09:20
 (DIVULGAÇÃO)
Já estão em São Luís, Francisco Sousa de Oliveira, conhecido como Bufinha e o pistoleiro paranaense, Mauro Reis Coelho, o "Mauro Pulan", de 40 anos. Ambos foram presos na semana passada. Francisco Sousa de Oliveira foi preso em Porto Franco, suspeito de ser autor de vários homicídios no município maranhense de Presidente Dutra.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública do Maranhão (SSP) informou que com ele foi apreendido uma arma calibre 38 e várias munições.

O Bufinha já tinha prisão preventiva decretada e ela aconteceu após informações obtidas pelo delegado de Polícia Civil, Paulo Arthur, junto à delegacia de Porto Franco. A partir dessa troca de informações foi cogitada a possibilidade de tentativa de fuga de Francisco Sousa de Oliveira, para outro estado.

A partir de então foi montada uma equipe sob o comando do policial civil Epaminondas que contou com o apoio da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal. Durante a ação eles abordaram o ônibus da Transbrasiliana em que Francisco Sousa de Oliveira tentava fugir para capital do país, Brasília. O Delegado de Polícia Civil, Paulo Arthur o recambiou para Presidente Dutra.

Também na semana passada foi preso pela Policia Rodoviária Federal (PRF) de Entroncamento o pistoleiro paranaense Mauro Reis Coelho. Ele foi autuado em flagrante pela PRF, porque é suspeito de fazer parte de uma organização criminosa de Belém do Pará conhecida como "Navalha na Carne". Mauro Pulan, segundo números atualizados da SSP já teria executado pelo menos 186 pessoas, mais do que os 130 já noticiados. Só no Maranhão teriam sido 87 vítimas, restando ainda alguns casos a serem investigados.

No ato da prisão Mauro Pulan portava uma carteira falsa de policial militar do Pará e um revólver cabrile 38. Após ser detido ele foi conduzido para Delegacia Regional de Itapecuru e depois transferido para São Luís.

O Superintende de Polícia Civil do Interior, Jair Paiva disse que "já encaminhamos o Mauro Coelho para São Luís, onde ele deve passar pela triagem para se definir onde ele ficará detido". Mas para evitar uma possível tentativa de resgate do preso, por exemplo, o local não foi divulgado. "Por medida de segurança a unidade prisional onde Mauro Reis Coelho está preso não pode ser revelada", esclareceu a Secretaria de Estado da Justiça e da Administração Penitenciária do Maranhão (SEJAP).

O Superintende de Polícia Civil do Interior, Jair Paiva, disse ainda que "as investigações vão seguir. Em função do feriado não foi possível fazer muita coisa na sexta. Então vamos averiguar todos os antecedentes e fazer um levantamento minucioso".

Tanto Francisco Sousa de Oliveira (bufinha) quanto Mauro Reis Coelho (Mauro Pulan) serão apresentados, nesta segunda-feira (5) pela Polícia Civil do Maranhão.  

Suspeita de agredir criança volta à delegacia para prestar mais esclarecimentos

A babá Maria da Conceição Costa Galvão, 21 anos, retornou à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) para prestar mais esclarecimentos. Ela é acusada de maus tratos ao bebê de um ano e dez meses, que estava sob seus cuidados.

A agressão foi registrada pelas câmeras de segurança da residência, no Renascença II. Em depoimento, Maria tentou explicar alegando que não tinha intenção de fazer mal e estaria apenas brincando com o bebê. Ela  compareceu à delegacia para que fosse feito o levantamento de vida pregressa e a identificação criminal para indiciamento. A babá está detida em Pedrinhas sob acusação de crime de tortura.

Maria da Conceição está em uma cela individual, medida da delegacia para que ela não sofresse agressão das demais presas. Pelo “código da cadeia”, não são tolerados crimes contra menor e estupro a mulheres. A babá se disse surpresa com a atitude da antiga patroa, em denunciá-la à polícia. “Eu não ia maltratar ele. Eu sabia que tinha câmeras ali, jamais iria fazer isso”, insistiu ela.

A jovem contou ainda que costumava ficar sozinha com a criança. Ela citou os dias que passou em hospital acompanhando o bebê. “Eu ficava lá com ele dia e noite, e os pais ficavam em casa. Se eu fosse de maltratar ia ter muita oportunidade ali”, disse, tentando se explicar.

Para a jovem, houve um mal entendido por parte dos pais. O vídeo mostra a criança se aproximando da babá e sendo empurrada. Após, isso seguem sucessivas agressões:por sete vezes o garoto é mordido deixando marcas no braço e mão.

Tudo foi acompanhado por Graciele Moreira, 29 anos, que estava na casa há quatro meses; e Elcilene Souza Miranda, 20 anos, há uma semana para substituir a atual babá – que nada fizeram. A babá disse que ao sair da prisão, pretende continuar trabalhando com crianças.