quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Presos suspeitos de assassinar policial civil

Cristiano Azevedo da Mota, foi morto por uma bala perdida, durante confronto entre grupos rivais.
SÃO LUÍS - A polícia prendeu nesta quinta-feira (18), Gustavo Augusto Menezes Lopes, o Gugu; Rafael Mendonça Costa; Deusdeth da Silva Gusmão, o Pelado; além de duas mulheres identificadas como Tainara e Soraya, que seriam namoradas de Gustavo e Rafael. Eles são suspeitos de envolvimento no assassinato do policial civil Cristiano Azevedo da Mota, de 37 anos, por uma bala perdida durante confronto entre grupos rivais, ao passar por uma rua entre o Campus da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e o bairro Sá Viana.

Segundo informações, um dos integrantes do bando, que está preso, teria recebido uma ligação da Penitenciária de Pedrinhas para que fosse buscar uma pistola .40 no bairro do Sá Viana. Ao chegar no local, foi surpreendido por dois homens em um Fiat Punto que atirou contra o Gol Vermelho. Percebendo ser alvo de uma emboscada, Gustavo reagiu atirando. Na troca de tiros, o policial civil Cristiano passava de moto quando foi atingido. A polícia está à procura dos integrantes do outro veículo para identificar o autor do crime.

Do bando que ocupava o Gol Vermelho foi apreendido um revólver calibre 38 com 59 munições. A arma estava em poder de Gustavo Augusto Menezes Lopes, o Gugu. O bando foi autuado em flagrante e está recolhido na delegacia da Vila Embratel, onde prestará depoimento. Apenas Rafael Mendonça está internado no hospital Clementino Moura, o Socorrão II. Ele foi baleado durante o tiroteio.

Cristiano Azevedo da Mota, que fez parte da diretoria do Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão, e estava na polícia há 14 anos, lotado no plantão da Rffsa, iria substituir um colega na delegacia da Vila Embratel.

Apuração
A polícia está apurando para saber se o incêndio que destruiu dez casebres na comunidade Mangue Seco, na área da Liberdade, na madrugada desta quinta-feira (18), foi criminoso e tem ligação com esse caso. Segundo informações, os bandidos que ocupavam o Gol Vermelho são moradores do Mangue Seco.

Pesar

Em nota de pesar, a Delegacia Geral da Polícia Civil do Maranhão lamentou o ocorrido com o investigador Cristiano Mota, que há 14 anos integrava os quadros da instituição, e se solidarizou com os familiares e amigos do policial.
O velório do policial está sendo realizado na Central de Velórios Pax União, na Rua Osvaldo Cruz (Centro) e o enterro está previsto para as 16h desta quinta-feira (18), no Cemitério Jardim da Paz.

Índios que viajaram dias para votar no AM estão com surto de diarreia

Equipes de saúde em Atalaia do Norte (AM) detectaram um surto de diarreia no grupo de índios que ficou sem dinheiro para retornar às suas aldeias depois das eleições, há duas semanas.
No final da semana passada, duas crianças com menos de dois anos morreram com esse quadro. Até segunda, outras 13 permaneciam internadas com sintomas de diarreia, vômito e febre. Outra, com problemas respiratórios, foi transferida para o hospital do Exército de Tabatinga, cidade vizinha.
Em 94 canoas, cerca de mil índios chegaram à cidade no final de semana da eleição, depois de terem recebido combustível de candidatos.
O trajeto de barco entre a aldeia, na fronteira com o Peru, e a cidade (1.036 km de Manaus) leva até dez dias.
Os índios tiveram que erguer acampamento à beira de um rio, já que não tinham dinheiro para comprar o combustível para a volta.
Na segunda, a Funai (Fundação Nacional do Índio) disse que, das 94 canoas, 69 receberam combustível da fundação e já retornaram para a terra indígena do Vale do Javari.
Os demais índios permanecem no local à espera dos filhos internados. O temor das equipes de saúde é que o surto se espalhe na aldeia.
Heródoto Jean, coordenador do Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena), do Ministério da Saúde, disse que equipes da Força Nacional de Saúde e da Defesa Civil estão na cidade dando assistência aos índios. São dois médicos, uma enfermeira e uma técnica de enfermagem.
Eles detectaram que a água consumida pelos índios, que foram abrigados em canoas e barracas de lona, na margem do rio, estava contaminada.
'As equipes de saúde coletaram a água do rio e confirmaram que estava contaminada, causando o surto de diarreia nos índios', disse Heródoto Jean. Ele informou que a Força Nacional de Saúde instalou filtros de água na beira do rio e nos hospitais.
Investigação – O procurador federal Edmilson Barreiros pediu investigação sobre o caso, já que a entrega do combustível pode configurar crime eleitoral.
O município teve três candidaturas a prefeito e 85 a vereador. Compareceram às urnas 4.899 eleitores. O combustível para o retorno dos índios foi comprado pela Funai com verba de R$ 75 mil.
(Folha Online)

Questões judiciais podem atrasar a duplicação da BR

Apesar de já estar sendo realizada pelo consórcio Serveng Cilvisan/Aterpa M. Martins S/A, a obra de duplicação da BR-135 ainda pode mudar de empresa executora, o que atrasaria o andamento dos serviços. Ontem (16), durante vistoria no primeiro trecho da duplicação – Estiva a Bacabeira –, o superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Gerardo Fernandes, confirmou que a empresa paulista Equipav Engenharia pediu revisão do resultado do certame ao Tribunal de Contas da União (TCU), alegando que houve falhas na execução dos critérios de escolha do vencedor da licitação. “No momento, nós estamos aguardando o julgamento do TCU. O DNIT já expôs sua posição ao tribunal na semana passada”, informou Fernandes. O superintendente afirmou, ainda, que, caso seja dado parecer favorável à Equipav, poderá haver um atraso no cronograma das obras, pois um novo contrato deverá ser feito, o que demandará tempo.
O imbróglio jurídico começou na primeira etapa do processo licitatório, quando a Equipav foi desabilitada pelo DNIT/MA. Segundo o órgão, a empresa paulista não havia conseguido comprovar sua experiência em serviços “iguais ou semelhantes” aos da obra de BR-135, o que comprometeria a qualidade da duplicação.
No entanto, a Equipav ganhou o direito de participar do processo, por meio de liminar concedida pelo juiz José Carlos do Vale Madeira, da 5ª Vara da Justiça Federal.
Assim, quando os envelopes com as propostas de preço para o lote 1 (Estiva-Bacabeira) foram abertos, no dia 1º de agosto, a vencedora foi a Equipav, que apresentou o menor orçamento – R$ 345.252.591,47 contra R$ 354.699.315,05 da Serveng/Aterpa.
Foto: G. Ferreira
Primeira etapa da obra de duplicação da BR-135 já está sendo tocada
Dezesseis dias depois, o consórcio Serveng/Aterpa conseguiu derrubar, no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, a liminar obtida pela Equipav, e, em 21 de agosto, o Diário Oficial da União (DOU) publicou que a Serveng/Aterpa realizaria a duplicação da BR-135. Agora, com a Equipav entrando com o pedido de revisão da decisão no TCU, o caso segue sub judice.
Outro fator que pode resultar no atraso das obras é o referente às desapropriações de imóveis e remanejamento de pessoas.
Para evitar que essa questão desemboque em pendengas judiciais intermináveis, o DNIT já contratou uma empresa que trabalhará exclusivamente com essa parte no projeto de duplicação.
De acordo com Ezequiel Xenofante, procurador do DNIT/MA, haverá uma atenção especial para a discussão dos valores das indenizações.
Na vistoria da manhã de ontem, além do superintendente do DNIT/MA, Gerardo Fernandes, estiveram presentes representantes do consórcio Serveng/Aterpa, que afirmaram que a empresa pretende cumprir o prazo estipulado, de dois anos, para a conclusão da primeira das três etapas da duplicação (Estiva-Bacabeira), que deverá compreender posteriormente os trechos Bacabeira-Entroncamento e Entrocamento-Miranda do Norte.
As obras da primeira etapa estão sendo executadas com recursos federais, e foram orçadas em R$ 354.699.315,05 milhões. Vão desde km 25 da BR até o km 51,30, somando um total de 26,30 km de extensão.
“As máquinas já começaram a limpar os trechos que não apresentam problemas de desapropriação para acelerar o processo. Ainda neste ano vamos licitar o lote 2, referente à segunda etapa do projeto de duplicação da BR-135, que deverá se estender de Bacabeira ao Entroncamento. Portanto, assim que a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) liberar a licença de prévia, daremos andamento ao restante da obra”, disse Gerardo Fernandes.
O superintendente de obras do consórcio Serveng/Aterpa, Roniere Fernandes, relatou que o projeto de duplicação será executado ao lado das linhas férreas. A Ferrovia Transnordestina vai ser transferida, ficando lado a lado com a Estrada de Ferro Carajás (EFC), segundo Roniere.
Ele contou que, por enquanto, estão sendo realizados os serviços de mobilização da obra e instalação dos canteiros centrais. “Em no máximo 40 dias já estaremos com os serviços a todo vapor. Precisamos aproveitar a estiagem para executar a terraplanagem de Periz de Baixo a Bacabeira e a fundação do aterro de Campo de Perizes, que tem um solo mole. Iremos usar na fundação desse aterro cerca de 1.200 milhão de metros de colunas de brita, para deixá-lo compacto e sólido. Durante o período chuvoso vamos executar a recuperação, alargamento e restauração com melhorias na via velha que hoje é utilizada pelos veículos. Infelizmente, teremos tráfego lento em alguns pontos e interrupções em outros. Por isso, precisamos contar com a paciência e compreensão dos motoristas, uma vez que trata-se de uma grande obra, que beneficiará a todos.”

Incêndio atinge dez casas na Vila Mangue Seco, em São Luís

SÃO LUÍS – Dez casas foram atingidas por um incêndio na Vila Mangue Seco, próximo à Liberdade, em São Luís, na madrugada, por volta das 4h30, desta quinta-feira (18). Não há vítimas. A informação foi divulgada por um morador da área durante o programa Acorda Maranhão, da rádio Mirante AM.
Alguns moradores perderam, também, móveis no incêndio. O fogo, segundo o ouvinte, continuava se alastrando no início da manhã. Uma grande equipe do Corpo de Bombeiros foi deslocada para o local.
Uma investigação vai apontar as causas do incêndio, mas, segundo informações preliminares, prestadas por moradores, é possível que o uso de um fogareiro tenha iniciado o incêndio.

Policial é morto durante troca de tiros entre traficantes

O investigador Cristiano Azevedo da Mota foi atingido próximo ao bairro Sá Viana.
  • .
  •  

SÃO LUÍS – Um investigador da Polícia Civil, o policial Cristiano Azevedo da Mota, de 37 anos, foi 
morto durante troca de tiros entre traficantes, ao passar por uma rua entre o campus da 
 Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e o bairro Sá Viana, segundo informações.
Cristiano Azevedo da Mota, que fez parte da diretoria do Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão, e estava na polícia há 14 anos, se dirigia ao local de trabalho, na delegacia da Vila Embratel. Segundo informações, o mesmo passava de moto por uma rua, entre a UFMA e o Sá Viana, quando foi atingido durante uma troca de tiros entre traficantes.
Segundo informações do Superintendente de Polícia Civil da Capital (SPCC), Sebastião Uchoa, a polícia já está à procura dos integrantes das quadrilhas. Um dos traficantes foi baleado na coxa e foi direcionado a um hospital da capital.
A polícia trabalha com a hipótese de que outros suspeitos da morte do policial tenham sido baleados. Policiais civis foram encaminhados aos hospitais da capital para checar a possível entrada de traficantes envolvidos na morte do policial.

Sargento reformado da Aeronáutica é executado no São Cristóvão

Ele chegou a ser socorrido e encaminhado para o Hospital Socorrão II.

Foto: Biné Morais
Restaurante no qual o Sargento foi assassinado
SÃO LUÍS - O sargento reformado da Aeronáutica, Edson Silva Macêdo, foi executado a tiros em um bar do bairro do São Cristóvão, em São Luís. O crime aconteceu no início da tarde desta quarta-feira (17). Segundo testemunhas, dois homens entraram no bar e dispararam três tiros contra o sargento, no abdômen. Ele chegou a ser socorrido e encaminhado para o Hospital Municipal Dr. Clementino Moura (Socorrão II), onde não resistiu e morreu.
Em entrevista ao Imirante, o coronel Jefferson Teles relatou alguns detalhes do assassinato descrito pelas testemunhas. Segundo ele, o homem que atirou era claro, alto, magro, tinha várias tatuagens no corpo e usava uma camisa laranja. A moto, usada durante o crime, era uma Titan vermelha, sem placa. A arma utilizada foi uma pistola ponto 40.