quinta-feira, 14 de junho de 2012

Universidade Federal do Maranhão divulga edital do SiSU

SÃO LUÍS - A Universidade Federal do Maranhão ( UFMA) torna público o cronograma e demais requisitos e procedimentos relativos ao processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), para ingresso nos cursos de graduação da UFMA, no segundo semestre letivo de 2012.
As inscrições no SiSU deverão ser efetuadas, exclusivamente pela internet, por meio do
Portal do SiSU, no endereço http://sisu.mec.gov.br.

Retrato falado ajudou a prender suspeito de assassinar Décio

Aluísio Mendes revelou que o retrato falado foi fundamental para a prisão de Jonathan Sousa Silva.

SÃO LUÍS – Em entrevista concedida ao radialista Domingos Ribeiro, da Mirante AM, o secretário de Segurança, Aluísio Mendes revelou que o retrato falado divulgado no dia 31 de maio foi fundamental para a prisão de Jonathan Sousa Silva, de 24 anos, o suspeito de ter assassinado o jornalista de O Estado do Maranhão e blogueiro Décio Sá.
“O retrato falado foi distribuído para todo o Maranhão e para polícias do Brasil inteiro. Com isso, tivemos policiais que reconheceram o Jonathan Sousa Silva e nos ajudaram a identificá-lo”, explicou Aluísio Mendes.
Ainda sobre a prisão do Jonathan Sousa Silva, o secretário afirmou que ele é muito claro com relação ao crime e explica como foi todo o processo até o assassinato de Décio Sá. “O Gláucio acusa o Júnior Bolinha e o este, por sua vez, acusa o Gláucio. O único que é muito claro sobre como tudo aconteceu é o Jonathan Sousa Silva. Por isso, e pelo fato do relato dele bater com os indícios coletados, acreditamos que a versão dele seja a verdadeira”, destacou o secretário de Segurança, em entrevista à Mirante AM

'Prisão por tráfico foi para despistar', diz Cristina Meneses

Agora, a polícia dará continuidade às investigações sobre agiotagem.
Delegada-geral, Cristina Meneses

SÃO LUÍS - O Imirante conversou, na manhã desta quinta-feira (14), com a delegada-geral da Polícia Civil do Maranhão, Cristina Meneses, sobre o andamento das investigações que concluirão a elucidação do assassinato do jornalista Décio Sá.
Segundo Cristina Meneses, no início da investigação sobre a morte de Décio Sá, a polícia partiu para várias vertentes do que seria a motivação do crime.
“Nós partimos para vários vieses, porque Décio incomodava muito. Começaram a surgir provas que se encaixavam, a partir daí conseguimos a prisão do executor. Ele foi preso pelo assassinato, e nós acabamos encontrando drogas na casa dele”, disse Cristina.
A delegada disse, ainda, que o executor, Jonathan Sousa Silva, confessou o crime com detalhes e demonstrou muita frieza. E que além de Décio, ele confessou ter matado mais 20 pessoas. O que deixou a polícia mais tranquila, foi o fato de que a confissão do assassino se encaixou com as provas que já tinham sido encontradas pelos investigadores, não restando dúvida da culpa do criminoso.
Cristina Meneses ressaltou que, quando a polícia prendeu Jonathan, já foi sob a acusação do homicídio de Décio, mas como drogas foram encontradas na casa dele, a polícia resolveu informar que ele havia sido preso por tráfico de drogas, a ideia era despistar os outros envolvidos.
“Nós decidimos fazer assim, para que os criminosos não soubessem que já estávamos sabendo de tudo”, disse a delegada.
Cristina Meneses declarou que, o que está totalmente elucidado é o caso do homicídio, mas a polícia quer agora descobrir o que motivou o crime.
Os principais envolvidos na execução de Décio moram em São Luís, e possivelmente eles ficarão presos na capital, com exceção do executor, que deverá ser transferido para outro Estado, para que ele não seja assassinado.
“Ele é a peça fundamental, precisamos do testemunho dele para ajudar no esclarecimento desse crime”, declarou Cristina Meneses.
O alvo agora é saber como funcionava a organização de agiotagem, saber quem são os envolvidos e quem dava proteção a eles.

Quadrilha que matou Décio Sá se beneficiava de 'proteção'

Secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, comenta ao Imirante fases de elucidação do crime.
SÃO LUÍS – Foi elucidado o caso sobre o assassinato do jornalista Décio Sá, morto em 23 de abril deste ano, em um bar da Avenida Litorânea. As investigações da "Operação Detonando", que duraram cerca de 50 dias, chegaram a sete pessoas que participaram do crime. Uma pessoa – já identificada – ainda está foragida, já que apenas um dos oito mandados de prisão não foi cumprido. Carros, documentos, cheques e notas de empenho de prefeituras maranhenses foram apreendidos e serão periciados.
Nessa quarta-feira (13), em entrevista coletiva, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Maranhão apresentou alguns dos criminosos: Gláucio Alencar, de 34 anos, apontado como um dos mandantes do crime e suspeito de ter financiado a execução do jornalista; José de Alencar Miranda Carvalho, de 72 anos, pai de Gláucio Alencar, apontado, também, como mandante e financiador do crime; capitão Fábio, conhecido, também, como "Capita", subcomandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Estado do Maranhão, suspeito de fornecer a arma que executou o jornalista; Jhonatan de Sousa Silva, de 24 anos, apontado como executor de Décio Sá e que está preso desde o dia 5 deste mês por tráfico de drogas – com uma extensa ficha criminal; Fábio Aurélio do Lago e Silva, de 32 anos, o "Bochecha", preso na Chácara Brasil, é suspeito de participar do crime e teria todo oconhecimento das ações do grupo; José Raimundo Chaves Júnior, o "Bolinha", de 38 anos, preso no Jardim Eldorado, suspeito de intermediar as ações do crime; e Airton Martins Monroe, de 24 anos, suspeito de ter apresentado o executor do crime a "Bolinha". Eles deverão ser transferidos a presídios de segurança máxima em outros Estados.

Saiba quem é quem entre os suspeitos de matar Décio Sá

Sete pessoas foram presas nesta quarta-feira (13), suspeitas de participar do assassinato de jornalista.

SÃO LUÍS - Sete pessoas foram presas, nesta quarta-feira (13), suspeitas de terem participado do assassinado do jornalista Décio Sá.
Saiba quem é quem entre os suspeitos de participarem do crime:

Gabriel Mendes/ Imirante

Glaucio Alencar, 34 anos, é apontado como um dos mandantes do crime e suspeito de ter financiado a execução do jornalista.

Gabriel Mendes/ Imirante

José de Alencar Miranda Carvalho, 72 anos, pai de Glaucio Alencar, também é apontado como mandante e financiador do crime.

Gabriel Mendes/ Imirante

O capitão Fábio, conhecido também como "Capita", subcomandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Estado do Maranhão, é suspeito de fornecer a arma que executou o jornalista.

Gabriel Mendes/ Imirante

Jhonatan de Sousa Silva, de 24 anos, apontado como executor de Décio Sá, está preso desde o dia 5 deste mês.

Gabriel Mendes/ Imirante

Fábio Aurélio do Lago e Silva, 32 anos o Bochecha, preso na Chácara Brasil, é suspeito de participar do crime. Ele teria todo o conhecimento das ações do grupo.

Gabriel Mendes/ Imirante

José Raimundo Chaves Junior, o Bolinha, 38 anos, preso no Jardim Eldorado, é suspeito de intermediar as ações do crime.
O Imirante não dispõe da foto de Airton Martins Monroe, 24 anos, suspeito de ter apresentado o executor do crime a Júnior, o Bolinha.
Nem Airton nem o capitão Fábio foram apresentados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado na tarde desta quarta-feira (13)

Semed disponibiliza edital para candidatos do Projovem Urbano

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) comunica aos candidatos inscritos no processo seletivo simplificado Projovem Urbano que está disponível no endereço eletrônico http://www.fsadu.org.br/projovemurbano, o Edital Nº 005, de 11 de junho de 2012, contendo a relação dos 1.034 (mil e trinta e quatro) candidatos convocados para entrega de títulos nos dia 12, 13 e 14 de junho de 2012, no horário das 09h00 as 17h, na Escola Gestão e Governo Municipal - Eggem, na Rua das Andirobas, nº 26, Renascença, nesta capital.

Mais informações na Superintendência da Área de Educação de Jovens e Adultos - Saeja, na Rua de São João, nº 452 - Centro, ou pelo telefone (98) 3212-8218.

Matrículas - O Programa Projovem Urbano está com as matriculas abertas até 15 de junho de 2012. As inscrições podem ser feitas nas UEBs Alberto Pinheiro (Centro), Mário Pereira (Vila Sarney - Maracanã), Maria Alice Coutinho (Turu), Rosália Freire (Vila Isabel), Rubem Almeida (Coroadinho) e João Lima Sobrinho (Coroadinho), nos turno matutino, vespertino e noturno.

O Projovem atende alunos de 18 a 29 anos, que ainda não concluíram o ensino fundamental, e oferece cursos na área de Construção e Reparos II, Telemática e Vestuário, com o auxílio de bolsa de R$ 100 aos alunos matriculados no Programa .

Sinfra libera tráfego de veículos em uma das pistas do viaduto da Via Expressa



 Veículos trafegam em pista sobre o novo viaduto da Via Expressa (Foto/Antonio Martins)
Veículos trafegam em pista sobre o novo viaduto da Via Expressa
A Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) liberou desde terça-feira (12), o tráfego de veículos sobre uma das pistas do novo viaduto da Via Expressa, com o objetivo de viabilizar o início dos serviços de engenharia em uma das vias da Avenida Carlos Cunha.

Segundo a Sinfra, o serviço feito numa das pistas do viaduto não é definitivo e visa tão somente a realização das obras na via da Avenida Carlos Cunha. Assim que o serviço for concluído nos dois lados da avenida, as obras definitivas sobre o viaduto serão realizadas.

As obras de construção da Via Expressa estão em ritmo acelerado. A primeira etapa, iniciando na Avenida Carlos Cunha até chegar ao Cohafuma, será inaugurada como parte da festa dos 400 anos de São Luís. A segunda etapa, que vai do Cohafuma até o Maranhão Novo será entregue no final de dezembro.

Segundo o secretário de Infraestrutura, Max Barros, as obras da Via Expressa estão dentro do cronograma do governo estadual. Os dois quilômetros da Carlos Cunha até o Cohafuma estarão concluídos nas festividades dos 400 anos de São Luís. "Nesse trecho teremos uma ponte e um viaduto. As demais pontes já estão sendo construídas com diversas frentes de trabalho para que todo o percurso seja concluído até o final do ano", revelou.

Com investimentos de mais de R$ 100 milhões, a obra beneficiará 300 mil habitantes. A nova avenida interligará os bairros Jaracati, Cohafuma, Vinhais e Maranhão Novo, por meio de alças acopladas às vias já existentes, que serão especialmente restauradas para a garantia de melhor fluxo de veículos.

No total, terá cerca de 9 km de extensão, beneficiará mais de 20 bairros e deve atrair pelo menos 30% do total de veículos que hoje trafegam pela Jerônimo de Albuquerque, entre o Elevado da Cohama e o Elevado do Trabalhador.

Traficantes são presos por vários crimes na Vila Nova República

Os traficantes Rafael Ewerton Cabral, conhecido como "Rafaelzinho" ou "Rafinha", e Francinaldo de Jesus Costa, conhecido como "Naldo", foram presos por policiais do Serviço de Inteligência, na Vila Nova Republica (Maracanã).

Com eles a polícia apreendeu três pedras grandes de crack, notebook, dinheiro, revolver calibre 38 e munição. Os dois estavam sendo procurados em função de atentado contra a vida de Luis Carlos da Silva, que chegou ainda a ser atingido com um tiro na mão.

A vítima só não foi assassinada porque fingiu que estava morto. Após terem sido presos, Rafaelzinho e Naldo foram encaminhados para a Delegacia da Cidade Olímpica, onde foram apresentados ao delegado Walter Wanderley.

Pelas informações prestadas pelo delegado, os dois são acusados da praticar vários crimes na área. A polícia acredita que o revólver apreendido com eles seja uma das armas utilizada na tentativa de homicídio contra Luis Carlos. Em função disso o delegado autuou os dois em flagrante e encaminhou o revólver para ser periciado no Instituto de Criminalística (ICRIM).

IML registra dois assassinatos durante a madrugada de ontem

Durante a madrugada de ontem, dois assassinatos foram registrados no Instituto Médico Legal (IML). Nos dois casos, foram usadas armas de fogo para matar as vítimas.
Além do corpo de Valdênio José da Silva, de 33 anos, que esteve preso recentemente acusado de ter participação na morte do jornalista Décio Sá, foi levado para o IML o corpo de Waleson de Sousa Rodrigues, de 18 anos.
Valdênio foi morto com vários tiros quando dormia em um dos quartos de sua residência, localizada na Rua Projetada, n° 400, do Residencial Talita, município de Raposa.
Waleson, por sua vez, foi morto a tiros, nas proximidades do Viva do Jaracati, por seu comparsa, um adolescente de 16 anos, que foi apreendido no Bairro da Liberdade, por policiais do 8° Batalhão da Polícia Militar.
A vítima ainda chegou a ser socorrida pela viatura de número 14, do Bairro do Renascença, mas morreu ao dar entrada no Hospital Municipal Djalma Marques, o Socorrão 1. Waleson era morador da Rua 4, n° 33, Jaracati. Seu corpo chegou ao IML à 1h55, de ontem.

MP oferece Denúncia contra cinco suspeitos de assassinato

A Promotoria de Justiça da Comarca de Buriticupu ofereceu Denúncia, em 6 de junho, contra José Ferreira dos Santos, conhecido como Zé Peres, Manoel da Silva Oliveira, comumente chamado de "Manelão", Francisco Teixeira de Oliveira Filho, Diego da Silva Lima, vulgo "Pitbull" e Roso Mario Marques Vieira. Todos estão envolvidos no assassinato de Raimundo Alves Borges, conhecido pelo apelido de "Cabeça", presidente da Associação União Vila Casa Azul. A manifestação foi assinada pelo promotor de Justiça Gustavo de Oliveira Bueno.
Além da condenação dos citados, o Ministério Público requer a prisão preventiva de Roso Mario Marques Vieira.
Consta na Denúncia que, na tarde do dia 14 de abril de 2012, os acusados mataram Raimundo Alves Borges. O crime foi cometido na Vila Casa Azul, periferia do município de Buriticupu (a 404km de São Luís).
José Ferreira dos Santos criara inimizade com Raimundo Borges de Oliveira, por este ter excluído a sua filha Maria Claudete Santos Teles da entidade dois meses antes. Há, ainda, ações judiciais envolvendo Maria Claudete e Raimundo Borges.
Para a execução do crime, José Ferreira dos Santos contratou por R$ 5 mil Francisco Teixeira de Oliveira Filho. Por sua vez, Francisco foi auxiliado por Diego da Silva Lima e Manoel da Silva Oliveira. Eles executaram a vítima com vários tiros, depois de terem armado uma emboscada numa estrada vicinal

Lista dos fichas sujas tem 2,8 mil nomes no Maranhão, diz TCE

O presidente do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA), Edmar Cutrim, entregou, nesta terça-feira (12), a lista com os nomes de pelo menos 2.800 gestores que tiveram suas contas desaprovadas ou consideradas irregulares nos últimos oito anos. Na prática, eles passam a ser enquadrados na chamada Lei da Ficha Limpa, sendo considerados inelegíveis para as eleições de outubro.
A lista foi apresentada à presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA), desembargadora Anildes Cruz, no início da tarde, com a presença de vários conselheiros do TCE e da Justiça Eleitoral. Segundo ela, a partir de agora o Ministério Público vai analisar caso a caso da lista, para que possa haver ou não impugnação das candidaturas.
Foto: Divulgação/Ascom TRE
Presidente do TCE, conselheiro Edmar Cutrim na entrega da lista
Em 2008, eram cerca de 1.200 gestores que estavam nesta situação. Em entrevista ao G1, o presidente do TCE lamentou o número considerado elevado de gestores com contas irregulares ou consideradas irregulares. “Infelizmente tivemos esse grande número de gestores que não cumpriram as exigências da Lei e não aplicaram os recursos da forma devida. Esperamos que daqui para a frente, principalmente aqueles que forem eleitos este ano, possam ter um comportamento diferente, mais transparente”, afirmou.
O presidente também explicou que a partir de agora não cabe mais recursos na Corte de Contas e que esta lista só pode ser alterada caso aconteça uma determinação judicial. "Todos estes casos já tramitaram nomalmente e foram julgados. O TCE só incluir ou excluir algum nome se houver um posicionamento da Justiça", finalizou.

Governadora anuncia prisão dos envolvidos na morte do jornalista Décio Sá

Durante entrevista coletiva no Palácio dos Leões, a governadora Roseana Sarney, anunciou a prisão dos envolvidos na morte do jornalista Décio Sá e declarou ação efetiva de combate ao crime organizado.
Em entrevista coletiva, realizada na manhã desta quarta-feira (13), no Palácio dos Leões, a governadora Roseana Sarney comunicou oficialmente a prisão do assassino do jornalista Décio Sá, bem como todos os mandantes do crime, e que foram encerradas as investigações da operação deflagrada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) para encontrar os criminosos envolvidos.
Durante entrevista coletiva no Palácio dos Leões, a governadora Roseana Sarney, anunciou a prisão dos envolvidos na morte do jornalista Décio Sá e declarou ação efetiva de combate ao crime organizado.
Acompanharam a governadora na coletiva, o vice-governador, Washington Luiz Oliveira; os secretários Aluísio Mendes (Segurança Pública), Luís Fernando Silva (Casa Civil), João Alberto (Projetos Especiais), José Antônio Heluy (Trabalho e Economia Solidária), Hildo Rocha (Assuntos Políticos) e José de Ribamar Vieira (Gabinete Militar); além do comandante Geral da Polícia Militar do Maranhão, coronel Franklin Pacheco; e a delegada geral de Polícia Civil, Cristina Menezes.
“Quero agradecer a polícia e o secretário de Segurança, que se empenharam para solucionar o caso. A ordem era para que fosse preso o assassino do Décio, e isso aconteceu. Tal como da outra vez em que fui governadora e consegui acabar com o crime organizado no Maranhão”, ressaltou a governadora.
A governadora disse ainda que o Governo do Estado se sente mais confortável com a prisão do assassino, e destacou a importância do jornalista para o Maranhão. “O Décio era um jornalista respeitável, que ajudava o Maranhão desvendando problemas e que não merecia esse fim, mas agora nós podemos confortar a sua família, dizendo que o assassino e todos os mandantes serão presos”, frisou.
“Nós estamos tentando acabar com o crime em todo o estado do Maranhão. A polícia vai continuar o seu trabalho, o secretário de segurança e a equipe da SSP vão continuar o trabalho, e tenho certeza que a população vai ficar mais tranquila. Tomarei todas as providências necessárias para que no estado do Maranhão não tenha impunidade”, destacou Roseana.
Roseana disse que seu governo não tolera ação do crime organizado, que será combatido pela polícia. “Investimos no aumento do efetivo policial, equipamentos, viaturas, tudo para dar mais tranqüilidade à população”.
Na ocasião, Roseana Sarney garantiu que os detalhes da operação que elucidou o caso, bem como o nome de todos os envolvidos, serão anunciados pelo secretário de Estado de Segurança Pública, Aluísio Mendes, em coletiva que será realizada às 15h desta quarta-feira (13), na sede da SSP.

Caso Décio: capitão do Choque é preso

Uma grande operação da polícia prendeu, no início da manhã de hoje (13), ao menos sete de oito pessoas acusadas de envolvimento no assassinato do jornalista Décio Sá, ocorrido em 23 de abril passado.
Entre os presos, está o subcomandante do Batalhão de Choque da PM do Maranhão, capitão Fábio Aurélio Saraiva Silva. Seria dele, segundo a polícia, a pistola ponto 40 usada pelo matador do jornalista.
Foto: G. Ferreira
Jonatas Silva, acusado de matar Décio Sá
O pistoleiro, igualmente preso, tem 24 anos e é de Xinguara (sudeste do Pará). Ele foi identificado como Jonatas de Sousa Silva e teria confessado o crime. Jonatas havia sido preso no último dia 6, no Turu, com drogas e armas.
Também estão detidos, acusados de serem os mandantes, o empresário Gláucio Alencar Pontes – fornecedor de merenda escolar para várias prefeituras do Maranhão e suspeito de ser agiota, também com atuação em várias prefeituras maranhenses; o pai de Gláucio, identificado como Miranda; o revendedor de veículos de apelido “Júnior Bolinha”, de Santa Inês; e dois empregados de “Bolinha”, de apelidos “Buchecha” e “Balão” (ambos paraenses).
De acordo com a polícia, o assassinato de Décio Sá teria relação com o assassinato, em Teresina (Piauí), do revendedor de veículos Fábio dos Santos Brasil Filho, de 33 anos, executado com três tiros de pistola PT 380 – todos na cabeça – em frente a uma concessionária, no dia 31 de março último.
Assassinato de Fábio Brasil em Teresina, segundo a polícia, teve a ver com execução de Décio Sá
O jornalista Décio Sá publicara postagens sobre o caso, informando que Fábio Brasil devia a vários agiotas no Maranhão e havia prestado depoimento à Polícia Federal uma semana antes de sua morte. Fábio teria entregue muita gente envolvida com negócios nebulosos (agiotagem) com prefeituras do Maranhão e do Piauí.
Valdênio José da Silva, 38, assassinado na noite de segunda (11) – menos de 20 dias após ser solto, por falta de provas que o ligassem à morte de Décio Sá, conforme foi acusado – estaria ligado ao homicídio de Teresina, e sua execução, de certa forma, ajudou a polícia a chegar aos supostos mandantes e ao acusado de executar o assassinato de Décio.
A operação “Detonando” ocorreu em três cidades do Maranhão (São Luís, Santa Inês e Zé Doca) e em municípios do Pará.
Participaram da operação 12 delegados e cerca de 70 policiais civis, incluindo os do Grupo Tático Aéreo (GTA).
Também foram cumpridos na operação “Detonando” catorze mandados de busca e apreensão.
Ainda hoje, às 15h, acontecerá uma entrevista coletiva na Secretaria de Segurança Pública, na qual serão fornecidas à imprensa informações completas sobre a operação e os presos serão apresentados.

Processo de Roseana: Alegações finais apresentadas

Os advogados do processo em que o governador José Reinaldo Tavares (PSB) pede a cassação da governadora Roseana Sarney (PMDB) e do vice Washington Oliveira (PT), por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2010, protocolaram nesta quarta-feira (13), no Tribunal Superior Eleitoral, as alegações finais do recurso.
O TSE, segundo previsão dos advogados de acusação, deverá julgar em agosto, concomitantemente com o processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal, o recurso em que o ex-governador do Maranhão José Reinaldo Tavares (PSB) pede cassação da governadora maranhense Roseana Sarney (PMDB) e a convocação de novas eleições no estado.
A advogada Ezikelly Barros, que integra a equipe de defesa da governadora, afirmou que suas alegações finais serão entregues nos próximos dias — o prazo estabelecido é de dez dias. A defesa de seu vice-governador, Washington Luiz Oliveira (PT), terá mais dez dias para ajuizar suas razões. Em seguida, o processo vai para o Ministério Público para a emissão de parecer. Com o parecer, estará pronto para ser julgado.
Por diversas vezes, os advogados Rodrigo Lago e Rubens Junior, que assinam o processo de cassação movido pelo ex-governador José Reinaldo contra a governadora Roseana Sarney por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2010, afirmaram que a maior prova contra Roseana foi produzida pela própria defesa da governadora. Indagados diversas vezes sobre que prova seria essa, os advogados sempre desconversavam.
Agora, com a apresentação das alegações finais nesta quarta-feira, que contém 79 páginas (última etapa do processo antes de ir a julgamento), soube-se que a prova à qual se referiam os advogados se trata do depoimento do ministro das Minas e Energia, senador Edson Lobão.
O depoimento de Lobão foi prestado ao ministro Arnaldo Versianni em 21 de setembro de 2011, no gabinete do Ministério das Minas e Energia, em Brasília (um privilégio processual de ministro de estado para marcar o local onde quer ser ouvido).
Segundo consta no depoimento, Lobão reconheceu expressamente que vários prefeitos que pertenciam a partidos de oposição, como PDT, PC do B, PSB e PSDB, que possuíam candidatos próprios ao governo do Estado e ao Senado, foram cooptados pela governadora para apoiar sua candidatura à reeleição.
O Ministro foi além e declinou nomes de municípios cujos prefeitos de partidos de oposição apoiaram explicitamente a campanha de Roseana Sarney, a despeito de seus partidos possuírem candidatos próprios ao governo do Estado.
Lobão declinou expressamente que os prefeitos dos municípios de Coelho Neto (Soliney Silva – PSDB), Dom Pedro (Arlene Costa – PDT) e São Domingos (Kléber Tratorzão – PDT), todos apoiaram a candidatura de Roseana Sarney a Washington Oliveira em 2010.
O PSDB, partido ao qual pertencia Soliney Silva em 2010, indicou o candidato a vice na chapa de Jackson Lago, o Pastor Porto; O PDT, partido ao qual pertenciam Kleber Tratorzão e Arlene Costa, tinha como candidato o ex-governador Jackson Lago.
Os advogados de acusação demonstraram no processo que estes municípios foram contemplados com mais de 20 milhões de reais em convênios celebrados às presas no mês de junho de 2010, cuja liberação dos recursos aconteceu em tempo recorde, em alguns casos no mesmo dia da convenção da candidata Roseana, em 24 de junho de 2010.
Em todos esses municípios, a governadora Roseana Sarney saiu-se vitoriosa com larga vantagem: em Coelho Neto (que recebeu cerca de R$ 11 milhões de reais em convênios) obteve 72% dos votos e Jackson Lago apenas 7,78%; em Dom Pedro (que recebeu R$ 6.200.000,00), obteve 49,8% dos votos válidos, enquanto Jackson Lago obteve 13,16% dos votos válidos; Em São Domingos (que recebeu R$ 4.527.000,00) obteve 49,8%, e Jackson Lago obteve 4,65% dos votos.

Trio de estelionatários é preso em motel no Turu

Policiais da Delegacia de Defraudações prenderam, por volta de 1h de ontem, em um motel localizado na Avenida São Luís Rei de França, no Bairro do Turu, Ricardo Layon de Souza Albuquerque, de 27 anos; Diego Formiga de Oliveira, 25, conhecido como “Gordo”; e Wagner Almeida Diniz, 32. Eles são acusados de integrar uma quadrilha de estelionatários que clonava cartões de créditos e realizava várias compras.
De acordo com o delegado Paulo Aguiar, titular da Delegacia de Defraudações (localizada no São Francisco), o trabalho de investigação está sendo realizado por sua equipe há cerca de 15 dias, quando receberam a informação de que vários cartões “vale presente” haviam sido comprados da loja “O Boticário”, com o uso de cartões clonados da rede Hiper Card. A quadrilha seria composta por pessoas dos estados do Maranhão, Paraíba e São Paulo.
Foto: Divulgação
Diego Formiga de Oliveira, o “Gordo”; e Ricardo Layon Albuquerque, são acusados de integrar quadrilha de estelionatários
Além de Ricardo, que é natural de Cruz do Espírito Santo (PB); Diego, natural da cidade de Patos (PB), e do maranhense Wagner, natural de Cajari, um quarto homem, identificado como Samuel de Almeida, também integraria o bando e estaria em São Paulo. A polícia acredita que a quadrilha também seja composta por mais uma pessoa, que ainda não foi identificada.
Segundo o delegado Paulo Aguiar, “Gordo” é apontado como líder do bando e já teria sido preso pela Polícia Federal, na cidade de João Pessoa, e pela Polícia Civil de Pernambuco e São Paulo. Só neste ano, conforme revelaram as investigações, a quadrilha já teria atuado em São Luís pelo menos três vezes, aplicando golpes em todas elas.
A polícia também descobriu que, no último final de semana, os acusados estavam na cidade de Teresina, no Piauí, onde devem ter aplicado outros golpes. Um prejuízo avaliado em R$ 10 mil já teria sido causado pelos criminosos. Conforme revelou o delegado, somente em uma loja de São Luís, usando um cartão da rede América Express clonado, eles teriam comprado R$ 20 mil em calçados e bolsas, entretanto não teriam recebido a mercadoria.
Com os acusados, foram apreendidos 40 cartões de créditos clonados, 14 camisetas da marca La Coste, um notebook, uma máquina fotográfica e três celulares. O trio foi encaminhado para a Delegacia de Defraudações, onde todos foram autuados em flagrante pelos crimes de formação de quadrilha, falsificação de documentos públicos e estelionato, pelo delegado Paulo Aguiar