quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Prefeitura de Bacabeira quer tapar buracos construindo edifícios?

mat

 

Um dado no mínimo curioso está contido nos extratos de contratos publicados, dia 30 de julho, pela Prefeitura de Bacabeira no Diário Oficial do Estado (DOE), para serviços de engenharia e manutenção de logradouros do Município.
De acordo com as informações, o prefeito Alan Linhares contratou através de tomada de preço, no valor de R$ 1. 454. 883, 58 (Um milhão quatrocentos e cinqüenta e quatro mil, oitocentos e oitenta e três reais e cinqüenta e oito centavos), a empresa Arch Construções que não possui cadastro informado à Receita Federal para operar na atividade para qual foi contratada.

Em outras palavras, a prefeitura contratou empresa para realizar serviços de tapa-buracos nas vias públicas da cidade, mas a ‘construtora’ especializada em construção de edifícios, fabricação de estruturas metálicas, instalação e manutenção elétrica, atividades paisagísticas, perfuração de poços, COLETA DE RESÍDUOS NÃO PERIGOSOS, dentre outras coisas, receberá mais de um milhão de reais para tapar buracos em Bacabeira.
Registrada com CNPJ 13.252.005/0001-30, a empresa tem o nome de fantasia “Arch”, e funciona no número 12, quadra 22, e sala 201 do Edifício Executive Center, na Rua Queops, no Jardim Renascença, em São Luís, segundo comprovante de inscrição em anexo.
Ao registrar a empresa, cuja descrição é uma ‘Sociedade Limitada’, o representante informou ao fisco nada menos que 10 atividades de atuação. Na atividade econômica principal conforme já citado acima, diz que atua na construção de edifícios.
Na secundária, ela se apresenta como fabricação de estruturas metálicas; instalação e manutenção elétrica; construção de estações e rede de distribuição de energia elétrica; atividades paisagísticas; instalação e manutenção de sistemas centrais de ar condicionado, de ventilação e refrigeração; coleta de resíduos não perigosos; perfuração de poços de água; fabricação de artefatos de material plástico para uso na construção, exceto tubos e acessórios; e instalações hidráulicas, sanitária e de gás.

Mais um detento é assassinado no Presídio São Luís

Fábio Sousa Dias foi encontrado morto dentro da Cela 1, do Bloco do Presídio São Luís.
 
Mais um detento do Complexo Penitenciária de Pedrinhas foi assassinado. Desta vez, a vítima foi Fábio Sousa Dias, de 29 anos, enforcado em uma das celas do Presídio São Luís de Segurança Máxima, poucas horas depois de ser preso por assalto a um estabelecimento comercial e transferido do Centro de Triagem. Com este, sobe para cinco o número de apenados mortos em unidades carcerárias da capital este mês e 26 este ano.

PRF: prisão e acidente grave nas últimas horas

Segundo boletim, foram registrados sete acidentes.
SÃO LUÍS - Segundo boletim da Polícia Rodoviária Federal (PRF) sobre as estradas federais nas últimas horas foram registrados sete acidentes no Maranhão. Destes, três com danos materiais e quatro com feridos. No total, cinco pessoas ficaram feridas.
As ocorrências mais graves foram registradas no município de Açailândia e na capital maranhense. No primeiro, no Km 675, da BR-222, uma colisão entre uma moto e um veículo Ford deixou duas pessoas gravemente feridas. Já em São Luís, uma pessoa foi presa e encaminhada à Delegacia de Polícia Federal por apresentar, à fiscalização, uma Carteira Nacional de Habilitação falsa.

Médico suspeito de mandar matar ex-mulher e executores do crime são presos

Alvimar também é suspeito de assassinar Jardel Nogueira, na noite dessa segunda (26), em ITZ.
Danny Quiroga, Alvimar Rocha e Rogério Gomes.
IMPERATRIZ – Rogério Gomes da Silva e Alvimar Rocha Vieira, que residiam em Imperatriz, foram presos nesta terça-feira (28), em cumprimento aos mandados expedidos pela comarca do Pará. O médico Dani Alexandro Boado Quiroga foi preso na cidade de Araguatins (TO), suspeito de mandar matar a ex-mulher, Elianara Mendonça da Silva.
O crime aconteceu na cidade de Santa Maria (PA), em janeiro deste ano, e teria sido motivado por causa da divisão de bens entre o casal. Rogério e Alvimar são apontados pela polícia como os executores do crime.
“O médico já foi preso no Estado do Pará por envolvimento com assalto, ficou seis meses preso e, segundo ele, foi absolvido pela Justiça, mas consta esse antecedente criminal”, disse o delegado regional, Assis Ramos.
Entre os documentos de Alvimar Rocha, a polícia encontrou uma foto de Jardel Nogueira Teles, assassinado na noite dessa segunda-feira (26), no estacionamento do Terminal Rodoviário. A polícia vai investigar se ele, também, tem envolvimento nesse crime.
O suspeitos serão transferidos, nesta quarta-feira (29), para o Estado do Pará.

Conta de energia vai ficar, em média 3%, mais barata no Maranhão

A partir desta quarta-feira (28), a tarifa de energia elétrica terá redução de 3,06%.
 
SÃO LUÍS – Os consumidores maranhenses terão a conta de energia mais barata. A partir desta quarta-feira (28), a tarifa de energia elétrica do Maranhão sofrerá uma redução de 3,06%, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). De acordo com a Companhia Energética do Maranhão (Cemar), dois milhões de clientes serão beneficiados.
O processo de Revisão Tarifária Periódica tem como principal objetivo analisar, após um período previamente definido no contrato de concessão (geralmente de quatro anos), o equilíbrio econômico-financeiro da concessão. A revisão tarifária da Cemar foi debatida em audiência pública.

Secretaria vai acompanhar jovem com problemas mentais mantido acorrentado

 
Segundo o pai, a medida é para a segurança do próprio filho, que não possui tratamento adequado.
SÃO LUÍS – Sem condições para tratar o filho de 14 anos com problemas mentais, o lavrador João Amaral, de Santo Amaro do Maranhão – município localizado a 285 quilômetros de São Luís – recorreu a uma medida extrema: acorrentar o adolescente. O caso foi mostrado na edição dessa terça-feira (27) do JMTV 2ª Edição, da TV Mirante, pelos repórteres Regina Souza e Ubiratan Chagas. A família do lavrador está hospedada na cidade de São José de Ribamar, Região Metropolitana da capital maranhense.
O drama da família começou há três meses, em Santo Amaro, região dos Lençóis Maranhenses. Há um mês, por orientação do Conselho Tutelar, o lavrador foi à capital em busca de tratamento psiquiátrico para o filho. Nesse período, ele já esteve internado no Hospital Nina Rodrigues por duas vezes, mas, cada vez que sai, volta para a mesma situação. O Sistema Único de Saúde (SUS) não permite mais internação de casos psiquiátricos nos hospitais da rede pública, cabendo às famílias, mesmo sem condições, cuidar de seus pacientes.
Em nota, a direção do Hospital Nina Rodrigues informou que casos que requerem internação nas clínicas psiquiátricas conveniadas ao SUS devem ser encaminhados pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus). O Conselho Tutelar de São José de Ribamar informou não ter sido contatado pelo Conselho de Santo Amaro, mas garantiu que o problema vai ser encaminhado para o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) do município.
Nesta quarta-feira (28), o secretário de Saúde de São José de Ribamar, Rodrigo Ericeira Valente da Silva, comentou o caso. "O município de São José de Ribamar tem sido referência para alguns municípios, pela localização geográfica e pelo trabalho que está sendo desenvolvido no âmbito da saúde. (...) Então, situações como essa têm sido rotina no município de São José de Ribamar. (...) Nesse caso, não foi diferente, só que foi na questão da psiquiatria. O pai do adolescente está há três meses em São José de Ribamar. Não teve tempo hábil para que a equipe fizesse a localização desse paciente. Porém, próximo à localização, existe uma Unidade Básica de Saúde. Nessa Unidade Básica de Saúde, existem enfermeiros e médicos, não especialistas em psiquiatria, mas capacitados para fazer esse primeiro acolhimento", afirmou em entrevista ao Imirante - ouça na íntegra.
O secretário explica que, após o primeiro acolhimento, o paciente é encaminhado para outra unidade que faz o tratamento adequado. "Após o primeiro acolhimento, o paciente é encaminhado ao Caps de São José de Ribamar, onde faz todo o tratamento dos transtornos mentais e dos vícios de álcool e drogas, e aí o médico psiquiatra do Caps faz a análise, se a gente tem condição de tratar o paciente no próprio Caps ou não. Não havendo, a gente faz a referência desse paciente para o Hospital Nina Rodrigues ou para qualquer hospital que for necessário, porque o que preconiza o Sistema Único de Saúde é que a gente precisa atender o cidadão mesmo fora do seu território", esclarece.
Hoje pela manhã, o próprio secretário vai ao encontro da família para acompanhar o caso, fazer o primeiro acolhimento ao adolescente e dar encaminhamento ao Caps de São José de Ribamar ou fazer a referência para o Hospital Nina Rodrigues.