quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Bandidos explodem mais um caixa eletrônico do Bradesco de Bom Jesus das Selvas

SÃO LUÍS - Em Bom Jesus das Selvas, bandidos explodiram nesta madrugada (27), o caixa eletrônico da agência do Bradesco.

Segundo informações, houve troca de tiros entre os criminosos e os vigilantes. Eles conseguiram escapar do cerco e levaram todo o dinheiro do caixa. A quantia não foi revelada até o momento.

Falta de sinalização favorece alto índice de acidentes em rodovias no Maranhão

Superintendente do Dnit no Maranhão, Gerardo Fernandes, comenta situação de rodovias no Estado.
 
Em Imperatriz, rodovia BR-010, praticamente, divide a cidade ao meio. Foto: Arquivo/João Rodrigues/Imirante.


SÃO LUÍS – A falta de sinalização, a imprudência dos motoristas, o aumento da frota de veículos e a presença de rotatórias no perímetro urbano da rodovia BR-010, conhecida como "Belém-Brasília", em Imperatriz, são fatores que favorecem o aumento do número de acidentes. Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), 40% dos acidentes registrados em Imperatriz, em 2012, aconteceram no perímetro urbano da rodovia – de janeiro a julho, foram registrados 589 acidentes. Na segunda maior cidade do Estado, o trânsito se torna complicado, principalmente, pela falta de sinalização que facilitem passagem dos veículos que saem dos bairros para o Centro, já que a rodovia, praticamente, divide a cidade ao meio. Nos últimos anos, o numero de acidentes aumentou, em média, 20%. Diariamente, passam mais de 12 mil veículos pelo perímetro urbano.

Em Timon, os números de acidentes e mortes no trânsito da BR-316, também, chamam atenção das autoridades. Para a Polícia Militar (PM), a imprudência dos motoristas e a falta de habilitação deles são os principais problemas. Neste ano, a PM registrou 238 acidentes de trânsito, com dez mortes. Até agosto, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) socorreu 672 vítimas de acidentes no trânsito. Durante um trabalho de fiscalização, policiais militares realizaram 1.747 notificações, sendo que 792 foram por falta de da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) garante que há previsão de duplicação de, pelo menos, doze quilômetros da rodovia BR-316, além da instalação de lombadas eletrônicas em alguns pontos da rodovia para melhorar o fluxo de veículos entre as cidades de Timon e Caxias.

Licitações e projetos

De acordo com o superintendente do Dnit no Maranhão, Gerardo Fernandes, o Ministério dos Transportes espera que as licitações sejam incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e, assim, recebem recursos do governo federal. No caso da BR-010, o Dnit reconhece as falhas na sinalização e espera incluir os trechos no programa "BR Legal". "Estamos licitando, em um prazo de, no máximo, vinte dias, a sinalização horizontal. Eu acredito que o projeto só terá início no fim do ano ou no começo de 2013. Mas, independentemente disso, pelo menos, a sinalização horizontal será refeita, ainda, nos próximos meses. Nesses trechos urbanos, o Dnit tem feito vários contornos para tirar esse tráfego de dentro da cidade, mas no caso específico da BR-010, em Imperatriz, que é o caso mais crítico, a previsão é de duplicação daquele trecho sem retirada da rodovia do perímetro urbano da cidade", afirmou em entrevista ao Imirante na manhã desta segunda-feira (27).

"Na cidade de Timon, nós vamos resolver o problema porque, nessa, nós vamos fazer o contorno. Nós estamos com o projeto pronto de asfaltamento de 100 km de Timon até o Km 100 da BR-226 e vai ser feita uma interligação entre a BR-316 e a BR-226, uma extensão de 3,6 km, que vai desviar esse trânsito da cidade de Timon. Com isso, com certeza vai melhorar muito o trânsito na cidade de Timon. Em Caxias, também, está o projeto pronto de duplicação da travessia urbana na cidade", diz o superintendente.

Ainda segundo Gerardo Fernandes, todas as obras devem ser iniciadas em 2013, já que, no orçamento de 2012, não há previsão de recursos para os trechos.

BR-135

Nesta semana, moradores da Zona Rural de São Luís interditaram duas pistas da BR-135 em protesto à falta de segurança e iluminação pública na área. Eles exigem, do Dnit, a construção de um quebra-molas no local para reduzir o número de atropelamentos na área. Outro protesto de moradores, no Km 59, nas proximidades do município de Bacabeira, exigiu a construção de quebra-molas no local para evitar a imprudência dos motoristas.

O superintendente do Dnit afirmou que já projetos em fase de licitação para a instalação de equipamentos de monitoramento de velocidade, conhecidos popularmente como "lombadas eletrônicas" na travessia urbana da BR-135. Entretanto, ele esclarece que, com os dispositivos, os veículos não vão parar, mas, sim, reduzir a velocidade nos trechos onde eles serão instalados. Ele reconheceu que instalação de passarelas pode ser uma alternativa a ser estudada pelo Dnit.

Quanto à duplicação da rodovia BR-135, Gerardo Fernandes assegura que os trabalhos já foram iniciados, mas que, nos primeiros 40 dias, está prevista apenas a fase de instalação do canteiro de obras e mobilização da empresa contratada por meio de licitação. Ele acredita que, na segunda semana de outubro, as obras sigam em um ritmo mais acelerado.

Já em relação ao serviço de "tapa-buracos" em alguns trechos, como entre as cidades de Peritoró e Presidente Dutra, o superintendente afirma que o Dnit acabou com os contratos de conservação e os substituiu por contratos de restauração e manutenção, o que permitirá um trabalho mais completo de conservação da rodovia. A previsão é de que, até o fim de outubro, todos os trechos no Maranhão estejam licitados.

Plano de fuga em Pedrinhas custaria cerca de R$ 150 mil

          
No túnel escavado para a fuga dos detentos existia iluminação e ventiladores para melhorar o ambiente (SILVAN ALVES/O IMP/D.A PRESS)
No túnel escavado para a fuga dos detentos existia iluminação e ventiladores para melhorar o ambiente
O plano de fuga de detentos do Centro de Detenção Provisória (CDP), com características cinematográficas e que foi frustrada após ser descoberta por agentes penitenciários, estava prevista para acontecer no próximo fim de semana e de acordo com informações, teria custado cerca de R$ 150 mil.

A fuga aconteceria por meio de um túnel que já tinha cerca de 17,5 metros de cumprimento, escavado dentro de uma casa na Vila Cabral e que dava em uma das celas da unidade prisional.

No interior da casa, a polícia prendeu Walberto Paiva Silva, de 22 anos, Wagner da Silva Launé, de 31, e Jonny Carlos Batista, 31 anos. Eles estavam tirando os sacos de terra de dentro do buraco no momento em que os policiais invadiram o local.

Também foi presa uma mulher identificada como Marilene Moreira Diniz. Ela é acusada de passar informações de dentro do presídio. A casa usada pelos bandidos havia sido alugada também em nome de uma mulher, que teve o nome preservado para não atrapalhar as investigações.

Logística

A logística da escavação funcionava da seguinte forma. A casa foi alugada para servir de ponto de fuga para detentos do CPD. Seis pessoas foram contratadas para realizar a obra de escavação.

De acordo com depoimentos dos detidos, o valor pago para os trabalhadores era de R$ 60 a diária, sendo que os pedreiros estavam divididos em dois grupos de três cada, onde trabalhavam de dia e noite. Outras pessoas eram responsáveis pelo despejo da terra retirada de dentro do túnel.

De acordo com informações do secretário adjunto da Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap), Bispo Serejo, dois detentos, que seriam responsáveis pela ordem do serviço já foram identificados. Eles são de outros estados e foram condenados por tráfico de drogas e assalto à agências bancárias. “Os nomes deles ainda não serão revelados para que não atrapalhe nas investigações, mas eles estão sendo monitorados”, garantiu.

Investigação


Os três homens que foram presos escavando o túnel, foram encaminhados para o Plantão da Vila Embratel (16º DP), onde foram autuados em flagrante. A polícia também suspeita que a tentativa de fuga tenha sido patrocinada pelo “Caixeiros” (ladrões que atacam os caixas eletrônicos usando explosivos). Também esta sendo investigado se não houve a participação de funcionários do Sistema Penitenciário do Estado.

O proprietário da casa usada pelos bandidos foi localizado e negou qualquer envolvimento no plano de fuga. Bispo Serejo, disse que todas as possibilidades estão sendo investigadas parar apurar todas as circunstâncias em torno do plano de fuga.