quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Duplicação da BR-135 pode acabar seis meses antes

De acordo com o DNIT/MA, as obras referentes ao primeiro lote, com o prazo de conclusão em 2 anos, poderá ser reduzido para 18 meses.
arquivo/O Estado
O prazo para a conclusão das obras de duplicação da BR-135 referente ao primeiro lote (de Estiva a Bacabeira) pode ser reduzido em até seis meses. Inicialmente, o prazo estipulado para a conclusão dos serviços no trecho de 27,3 km é de dois anos (24 meses), no entanto, o término das atividades pode acontecer em 18 meses. Caso isso se concretize, as obras no primeiro lote serão concluídas no início de 2014.
De acordo com o superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Maranhão (DNIT/MA), Gerardo Fernandes, o consórcio responsável pelos serviços de duplicação - Serveng Civilsan/Aterpa - apresentará nos próximos dias um cronograma atualizado de execução de obras no qual constará a redução do prazo para a conclusão dos serviços.
“Nós tivemos uma reunião e pedimos ao consórcio que apresente um cronograma com um prazo reduzido. Eles afirmaram verbalmente que isso é viável e que entregarão esse cronograma nos próximos dias”, afirmou o superintendente regional do DNIT no Maranhão. Ele disse também que, para que haja a redução no prazo, seria necessário acelerar determinados serviços, contratar mais profissionais e colocar em operação mais máquinas.
Leia mais na edição on-line de O Estado.

GATA

Abaixo, um exemplo de quem realmente sabe como APROVEITAR esse período de recesso das festas de fim de ano. Vejam, mas só se VOCÊ AINDA NÃO ALMOÇOU. Não quero ninguém colocando os bofes pra fora na frente do PC.

Créditos: EGO
Créditos: EGO

mulher_melao_div3.jpg.pagespeed.ce.b3vKhphBJP

HAHAHAHAHAAH CLASSE, CHARME, GLAMOUR. Não sei nem o que comentar desse LINDO MOMENTO eternizado pelas lentes de um fotógrafo corajoso com a nossa amada Mulher Melão. Ela que infelizmente tenho que dizer que não terá espaço em nossa retrospectiva 2012, ficou tão chateada com esse fato que tratou de se rebelar chamando NEYMAR em seu visu mais SENSUAL para lhe dar um calmante banho de mangueira na laje. NÃO ESTÃO BONITOS.

São presas 12 pessoas por infringir a Lei Seca na Ilha

Atividades aconteceram de 21 a 25, com 823 abordagens nas principais avenidas de São Luís.
Foto: De Jesus
Durante feriado prolongado do Natal, do dia 21 ao dia 25, a Polícia Militar (PM) fez 823 abordagens nas principais avenidas de São Luís, em blitze da Operação Lei Seca. Nos quatro dias de fiscalização, 12 pessoas foram conduzidas aos plantões de polícia por estarem com sintomas de embriaguez. A fiscalização, cujo objetivo é coibir que motoristas conduzam veículos após consumirem bebida alcoólica, será intensificada durante o fim de semana do Réveillon.
A PM retomou as blitze da Operação Lei Seca no dia 12 deste mês, após receber 50 novos bafômetros do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran). A fiscalização está ocorrendo todos os dias em diversos pontos da cidade, mas foi intensificada durante o período natalino para evitar abusos de condutores de veículos. Da noite do dia 21, sexta-feira, até a noite do dia 25, terça-feira, oito equipes da PM realizaram 823 abordagens em diversos pontos da capital.
Durante a operação, 12 pessoas foram conduzidas aos plantões policiais por apresentarem sintomas de embriaguez. Desse total, oito foram detidas após constatação, por meio do teste do bafômetro, que estavam dirigindo após consumirem bebida alcoólica. "Tivemos equipes atuando durante todo o dia no feriado. Foram oito equipes durante o dia e oito à noite para garantir que toda a cidade fosse fiscalizada", comentou o comandante de Policiamento Metropolitano, coronel Jeferson Teles.
Entre os pontos que foram fiscalizados estão a região das praias, como a Avenida Litorânea e trechos do Olho d'Água e Araçagi. Também foram vistoriadas as avenidas Jerônimo de Albuquerque e Daniel de La Touche, além dos bairros Vila Janaína, Sacavém, Paranã e a via de acesso à Raposa. "Esses são pontos com grande fluxo de veículos e de concentração de pessoas para as festividades. Durante o Réveillon, também estaremos atuando, inclusive em diversos outros pontos", informou o coronel Jeferson Teles.
Leia mais na edição on-line de O Estado.

Dnit quer redução de prazo para obras de duplicação da BR-135

Órgão quer conclusão das obras em 18 meses. Duplicação está sendo realizada em três etapas.



Foto: Arquivo/Douglas Jr./O Estado
SÃO LUÍS – Uma decisão da Justiça Federal, em Brasília, deu parecer favorável ao consórcio que faz as obras de duplicação da BR-135. A decisão foi tomada com base na Ação Cautelar elaborada pelo consórcio, que recorreu, no dia 17 de dezembro, da decisão da 5ª Vara da Justiça Federal do Maranhão, em favor da empresa Equipav Engenharia, resultando na anulação de cláusulas do edital elaborado para a concorrência pública dos serviços de duplicação da rodovia. A duplicação está sendo realizada em três etapas.
A Procuradoria Federal da Advocacia-Geral da União (AGU), que presta assistência jurídica ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no Maranhão, informou que, mesmo com o parecer favorável à continuidade das obras, o órgão deve dar entrada, nas próximas semanas, no Tribunal Regional Federal (TRF), ao pedido de indeferimento da decisão. O caso deve ser analisado apenas em 2013, em função do recesso do Judiciário.
De acordo com o superintendente do Dnit no Maranhão, Gerardo Fernandes, o problema foi causado por um questionamento da empresa que foi desclassificada do edital de duplicação da rodovia. "Quem está questionando é a empresa que foi desclassificada. Ela foi desclassificada por falta de atestação. Ela questiona que possui atestados de outros serviços que seriam equivalentes a esses serviços que estão sendo feitos. A comissão de licitação, que é autônoma, onde a própria ‘Lei de Licitações’ proíbe interferências na comissão, divulgou um edital, com 45 dias para que fosse questionado. O edital não foi questionado nesses 45 dias. Então, ela (a comissão) julga que a decisão dela está correta no sentido da eliminação dessa empresa. A empresa acredita que não", disse em entrevista ao Imirante nesta quarta-feira (26).
Ainda segundo o superintendente, o calendário não deve ser prejudicado em função das rápidas decisões da Justiça e informa que o Dnit tenta, com o consórcio contratado para a realização das obras, a redução do prazo de 24 para 18 meses.