terça-feira, 21 de agosto de 2012

Deputada sofre acidente na BR-135



A deputada estadual e candidata à prefeitura em Presidente Dutra, Pryscilla Sá (PT do B), sofreu um acidente de carro na BR-135, na manhã desta segunda-feira (20). A parlamentar foi encaminhada ao Hospital Socorrão de Presidente Dutra e passa bem.
Pryscilla Sá passava pelo município de Dom Pedro quando foi atingida por um caminhão que saía de um posto de combustível da região. A deputada e seu pai, que a acompanhava na viagem, foram encaminhados ao Hospital Socorrão de Presidente Dutra.
A deputada estadual e candidata à prefeitura em Presidente Dutra, Pryscilla Sá
Segundo informações publicadas por Joaquim Gonçalves Neto, tio da parlamentar, em seu perfil em uma rede social, a candidata quebrou um braço, mas passa bem. O pai de Pryscilla Sá não sofreu nenhuma escoriação, mas também foi encaminhado ao hospital para se recuperar do acidente. Nenhum representante de Pryscilla Sá foi encontrado para falar sobre o assunto.

Discussão no trânsito termina em morte

Um homem identificado como Abimael Araújo Soares, de 49 anos, morreu após uma discussão de trânsito na Rua São Geraldo, no Olho d’Água, em São Luís, na madrugada de ontem (19). O caso foi relatado à polícia por um irmão da vítima, Messias Soares.
De acordo com o relato, após um acidente, a vítima saiu do veículo e começou uma discussão com o outro motorista, que o golpeou com uma garrafa de vidro na região do pulso da vítima. Com um corte profundo, ele foi encaminhado ao Hospital Municipal Djalma Marques ("Socorrão I"), no Centro, onde morreu durante a manhã.
O agressor não foi identificado, mas, segundo Messias Soares, é irmão da proprietária de um estabelecimento próximo ao local onde aconteceu o acidente.
Filho de Maria das Dores Araújo e de José Ribamar Soares, Abimael, que deixa companheira e uma filha, morava na Avenida Atlântica, no Olho d´Água.

MPMA oferece denúncia contra ex-prefeita de Vargem Grande


O Ministério Público do Maranhão, em 16 de agosto, ofereceu Denúncia contra Maria Aparecida da Silva Ribeiro, ex-prefeita de Vargem Grande. A denúncia é resultante da violação da exigência de realização de procedimentos licitatórios, conforme apurado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), na prestação das contas do município relativa ao exercício financeiro de 2006.
O Relatório de Informação Técnica Conclusivo apontou que, por 82 vezes, Maria Aparecida não exigiu, dispensou ou deixou de observar as formalidades pertinentes à dispensa de licitação. Conforme o Acórdão 953/2011 do TCE, a contratação direta de pessoas de sua livre escolha para execução de obras e prestação de serviços, além de locações e compras sem justificativa para a não realização de processos licitatórios configuraram as irregularidades cometidas pela ex-prefeita.
Ainda de acordo como Tribunal de Contas, a ex-prefeita deve pagar a quantia de R$ 10.936.288,54 à Fazenda Municipal.O Ministério Público, por meio do promotor de justiça Benedito de Jesus Nascimento Neto, ofereceu a Denúncia contra Maria Aparecida da Silva Ribeiro com base no artigo 89 da Lei de Licitações (ato de dispensar ou inexigir licitação fora das hipóteses previstas em lei), cuja pena é de detenção por três a cinco anos, além de multa.

Acidente em Vitória do Mearim deixa quatro mortos e três feridos


Quatro pessoas morreram em um acidente registrado no Km 331,4 da BR-222, nas imediações do povoado Acoque, no município de Vitória do Mearim, localizado a 180 quilômetros de São Luís. O fato aconteceu por volta das 6h de ontem (18). Três das vítimas morreram ainda no local e uma a caminho do hospital. Outras três permanecem internadas, em estado grave.
De acordo com informações repassadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), um grupo formado por sete pessoas, que seguiam na BR pelo acostamento, foi atropelado por um veículo Fiat Palio, desgovernado, de cor branca e placa APM-4884, de Curitiba. As vítimas, em sua maioria, pertenciam a uma mesma família e estavam retornando de um culto evangélico.
Conforme informações repassadas pelo investigador Sousa Neto, da Delegacia de Vitória do Mearim, a suspeita é de que o condutor do carro, identificado como Francisco Rodrigues Farias, teria dormido ao volante ou estaria embriagado, quando seguia para São Luís. Ele fugiu do local, sem prestar socorro às vítimas.Segundo relatos colhidos pela polícia, o veículo havia sido alugado em São Luís, na locadora Única. Minutos depois do acidente, o Fiat Palio foi encontrado abandonado nas proximidades do posto da PRF, no povoado São Francisco, na BR-135, nas imediações do município de Itapecuru-Mirim, onde permanece retido.
Entre as vítimas que morreram no local estava Irismar Lisboa Costa, de 33 anos; Lindalva Cutrim Arouche, 53, e Ricardo Sousa Lisboa, de apenas 6 anos. Luís Gonzaga de Freitas, cuja idade não foi informada, teria morrido a caminho do Hospital Municipal Dr. Clementino Moura, o Socorrão 2, em São Luís. Outras três pessoas permanecem internadas em estado grave, na mesma unidade de saúde. Elas foram identificadas como Kelly Araújo de Freitas, de 20 anos; Maria Silva Araújo, 40; e Miram Cristina de Sousa, 7.
Todos os mortos e feridos residiam no povoado Acoque, localizado a 18 quilômetros da sede de Vitória do Mearim. Moradores da localidade ameaçaram cortar a via, para interditar a BR como sinal de protesto. Uma equipe da PRF foi encaminhada para o local, para contornar a situação. Até o fechamento desta edição, o causador do acidente não havia sido capturado.

Assaltantes roubam joias no valor de R$ 200 mil

A ação criminosa perpetrada por três elementos armados aconteceu nessa segunda-feira (20), por volta de 6h40, na residência da vendedora Francisca Clean Barbalho da Silva, localizada na Rua Marechal Rondon, Vila Lobão em Imperatriz, região tocantina.
Segundo a vítima, os três elementos entraram na residência aproveitando a oportunidade que o sobrinho dela abriu o portão para ir para a escola. O menino foi obrigado pelos bandidos a dizer onde era o quarto de sua tia, que vende joias. Por isso, existe a suspeita da polícia de que alguém deu a “parada” para os bandidos.
A vendedora informou na Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) que foi surpreendida quando ainda se encontrava no interior do seu quarto. Ela foi dominada pelos três elementos, que a obrigaram a entregar-lhes várias peças de ouro, que somados chegam ao montante de R$ 200 mil.
Um acusado chegou a ser preso pela Polícia Militar, foi reconhecido pela vítima e apresentado na Delegacia de Roubos e Furtos, onde o delegado Carlos César Andrade fez os procedimentos legais.

Inquérito da agiotagem revela nomes das primeiras prefeituras envolvidas


Antes da morte do jornalista Décio Sá, no dia 23 de abril de 2012, a Polícia Civil do Maranhão sabe que três grandes quadrilhas de agiotas atuavam em quase todo as regiões do estado com a participação de alguns prefeitos, secretários municipais e auxiliares de prefeituras.
José de Alencar e seu filho Glauco Alencar. (Foto: Arquivo/Reprodução)
A quadrilha comandada por Gláucio Alencar Miranda Pontes Carvalho, de 34 anos e pelo pai dele José de Alencar Miranda Carvalho, 72 anos, presos na Operação Detonando como mandantes do assassinato do blogueiro, atuava principalmente nas regiões do Munim e baixada maranhense.
Depois da apresentação do inquérito que elucidou a morte de Décio Sá, todas as atenções estão voltadas para o trabalho da comissão de delegados e investigadores no combate e identificação dos agiotas que atuavam com autorização e parceria de prefeitos no interior maranhense.
A Operação Detonando I contribuiu para a localização de boa parte dos documentos e cheques que estão sendo analisados pelos delegados. A maioria deste material estava com Gláucio e Miranda, que não devem negar participação no crime de agiotagem no estado, já que todas provas recolhidas são contundentes, principalmentes cheques assinados em branco por prefeitos e secretários envolvidos com o gupo de criminoso que dava ordens e praticamente "administrava" prefeituras envolvidas no crime.
O delegado Maimone Barros que preside a comissão, deve convocar todas as pessoas citadas, incluindo prefeitos que assinavam cheques em branco e passavam para os agiotas. Maimone Barros, que é um delegado experiente, participou das investigações da morte o jornalista Décio Sá e conhece de perto o resultado do trabalho que esclareceu o crime de encomenda registrado em abril na Avenida Litorânea.
Logo no início das investigações, antecipamos os nomes de algumas prefeituras que tiveram cheques apreendidos com o agiota Gláucio Alencar. Por exemplo, os investigadores da Polícia Civil devem confirmar a existência de vários cheques assinados em nome da Prefeitura de Turilândia na baixada maranhense. Esta prefeitura praticamente encabeça a lista com o maior número de cheques encontrados nas casas dos agiotas que estão envolvidos na morte do jornalista Décio Sá.
Como a investigação da agiotagem está apenas começando, os policiais não sabem ainda se todos os cheques foram assinados pelos prefeitos municipais, eles serão convocados pela comissão de delegados.
Na relação aparece ainda as prefeituras de Cururupu, Serrano do Maranhão, Mirinzal, Central do Maranhão, Rosário e Icatu. Nos próximos dias, também deve ser confirmada oficialmente uma pequena quantidade de cheques da Prefeitura de Bacabal. Estas são apenas as primeiras informações do inquérito da agiotagem... muitas outras virão, e o número de gestores que podem ter envolvimento com a quadrilha é bem maior.
Segundo a polícia maranhense, somente no primeiro semestre deste ano, duas pessoas foram assassinadas por causa da agiotagem. Fábio Brasil, foi executado na cidade de Teresina, e o jornalista Décio Sá, que denunciava por meio do seu blog as ações criminosas do grupo que mandou lhe matar.
Não custa nada lembrar que estes dados são do início do trabalho dos delegados. É importante aguardar o desenrolar das investigações, pois ainda é cedo para saber qual a participação direta dos gestores citados. De antemão, a certeza que os policiais tem se refere apenas a grande dimensão que a ramificação criminosa possui.