terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Novas regras para o trânsito

A partir de agora, os motoristas devem ficar mais atentos às normas de velocidade máxima no trânsito, tanto nas cidades, como nas rodovias. O Conselho Nacional de Trânsito (Contran), por meio da Resolução nº 396, decidiu que os órgãos de trânsito não precisam mais sinalizar a existência de pardais e barreiras eletrônicas. A exigência da sinalização estava em vigor desde 2006, mas agora valem as normas da Resolução nº 396, de13 de dezembro de 2011.

Com a nova medida, é obrigação do poder público sinalizar a velocidade permitida nas vias, sem ser necessária, porém, a sinalização de alerta quanto à presença de pardais e barreiras eletrônicas. Os equipamentos eletrônicos não podem ficar escondidos, mas o motorista deve obedecer ao limite de velocidade durante todo o percurso para evitar a multa. Nas rodovias, não é mais necessária a presença de placas que indiquem a existência de radar ou barreira eletrônica, e onde não há sinalização regulamentando a velocidade, o condutor deve seguir o que está previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), artigo 61: automóveis, caminhonetes e motocicletas devem trafegar a 110km/h; ônibus e micro-ônibus, a 90km/h; demais veículos, a 80km/h; e, nas estradas de terra, 60km/h para todos.

A equipe de O Imparcial tentou entrar em contato com um representante da Polícia Rodoviária Federal, para falar sobre o trabalho da PRF diante da nova medida, mas não foi possível encontrá-lo. O núcleo de comunicação da Polícia Rodoviária Federal informou apenas que, com a nova resolução, a PRF continuará desenvolvendo, em parceria com o DNIT - Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - o estudo técnico, que é a avaliação da velocidade permitida nos diferentes trechos das rodovias para a colocação de radares e barreiras, e afirmou que a nova medida é positiva, visto que o condutor deve obedecer ao limite de velocidade enquanto trafega, e não apenas ao passar pelos aparelhos de fiscalização.

O Imparcial entrou em contato também com a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), para falar sobre o assunto, mas, após o envio de e-mail solicitado pela Assessoria de Comunicação da secretaria, não houve resposta até o fechamento da edição.


Desrespeito a sinalização
No Distrito Federal, a cada hora, 75 veículos são flagrados trafegando acima da velocidade permitida. Nos sete primeiros meses deste ano, o Departamento de Transito (Detran) emitiu 384.284 multas para motoristas que desrespeitaram a sinalização. Segundo o Diretor do Instituto de Segurança de Trânsito (IST), David Duarte, para evitar que esses números aumentem, as vias precisam ser melhor sinalizadas, especialmente nas cidades menores. O motorista deve estar permanentemente informado sobre o limite de velocidade, sendo obrigado a olhar constantemente para o velocímetro.

Bandidos invadem e assaltam prédio comércial na Avenida dos Holandeses

Momentos de pânico e terror. Foi assim que funcionários e pessoas que estavam no edifício comercial Appiani viveram na manhã desta terça-feira (27). O prédio que é localizado na Avenida dos Holandeses foi invadido por homens armados, ainda não se sabem quantos, e invadiram uma sala.
Os bandidos levaram computadores e pertences de pessoas que estavam no local. Outras salas sofreram tentativa de arrombamento.
Imediatamente a polícia foi acionada, mas quando chegou ao prédio não encontrou nenhum assaltante, pois já tinham fugido.

Mulher suspeita de matar advogada se apresenta em delegacia

A advogada Geyza Rocha Pires foi morta e o corpo encontrado em uma lixão na área de Panaquatira.

SÃO LUÍS - Vanessa Matos, de 20 anos, se apresentou na manhã desta terça-feira (27), na delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, na capital maranhense. Ela é acusada de participação no assassinato da advogada Geyza Rocha Pires, de 34 anos, que aconteceu no dia 19 de novembro deste ano, em Panaquatira.

No último sábado (24), a Polícia Militar prendeu Francisco José Sousa, conhecido como Tintino, no povoado de Bom Jesus, no Maranhão. Ele também é acusado de envolvimento na morte da advogada. Francisco Sousa, o Tintino, é tio de Vanessa.

Tiago de Sousa, o terceiro suspeito de envolvimento no caso, continua foragido.

Informações sobre o acusado podem ser repassadas ao Disque-Denúncia pelo telefone: 3223-5800, na capital e 0300-313-5800, no interior.

Os três tiveram pedido de prisão temporária expedido pela Justiça. Eles foram identificados por meio de imagens de câmeras instaladas na rua da casa da vítima. Tiago de Sousa, 26 anos, e Vanessa Matos, 20 anos, teriam utilizado um dos cartões de crédito da vítima um dia após o crime em um salão de beleza, em São Luís.

Crueldade

A advogada Gêyza Rocha Pires, de 34 anos, encontrada morta na manhã do dia 19, com perfurações de faca na região do pescoço, em um lixão situado na Praia de Panaquatira, município de São José de Ribamar. A vítima estava sem os documentos e sem o carro, um Corsa Hatch preto (NHL-2808).

Gêyza Rocha Pires trabalhava em um escritório de advocacia, prestador de serviços terceirizados para a Companhia Energética do Maranhão (Cemar), e residia com suas tias idosas na Rua B, quadra H, casa 73, Jardim Alá, Olho D''''Água, de onde havia desaparecido desde a noite de sábado, dia 17/11.

Assalto provoca pânico em edifício comercial no Calhau

Funcionários tiveram que ser retirados de salas comerciais. Polícia busca os assaltantes.

Assalto provoca pânico em edifício comercial no Calhau
SÃO LUÍS – Um assalto em uma sala comercial do Edifício Appiani, na avenida dos Holandeses, bairro Calhau, em São Luís, provocou pânico nesta manhã de terça-feira (27). Os funcionários de empresas tiveram que ser retirados do local, alguns em estado de choque. Segundo o internauta Erique Vinicius, o "clima foi de muita apreensão", conforme relatou no VC no Imirante.

Segundo informações de alguns dos funcionários, ouvidos pela reportagem da rádio Mirante AM, os bandidos entraram armados no prédio e levaram, pelo menos, três notebooks e celulares de uma das salas comerciais, localizada no primeiro andar. Os bandidos tentaram levar, ainda, um refém.

A Polícia Militar chegou rapidamente ao local. O helicóptero do Grupo Tático Aéreo (GTA) foi utilizado na busca pelos bandidos. A polícia fez buscas no interior do prédio, mas já deixou o local. Segundo um policial militar que atendeu à ocorrência, apenas uma sala comercial foi alvo dos bandidos, mas eles tentaram arrombar outras salas do mesmo edifício.

Ainda de acordo com a polícia, pelo menos três assaltantes participaram da ação. Eles seriam os mesmos que sequestaram um motorista no bairro Altos do Calhau, um veículo Corolla de cor prata, com placa MSH 6472, conforme informações obtidas pela TV Mirante - o Imirante consultou o sistema do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), mas o veículo, entretanto, não consta "na base local". O motorista, que estaria sendo levado no porta-malas do veículo, ainda está em poder dos bandidos.

Qualquer informação que leve à prisão dos bandidos pode ser repassada pelos telefones 190, da Polícia Militar, e (98) 3223-5800 (capital) e 0300-313-5800 (interior), do Disque-Denúncia. O serviço funciona 24h e não é necessário se identificar.

VC no Imirante

Registrou o assalto? Envie sua foto ou vídeo para o VC no Imirante, o espaço do internauta no "portal do Maranhão". Para participar, basta acessar a página do VC no Imirante, clicar no botão "Envie agora" e acessar o sistema de envio.

Se você ainda não é cadastrado, basta se cadastrar, clicando aqui. O cadastro é rápido e fácil de fazer, além de ser completamente gratuito.

Se preferir, utilize as redes sociais: o Imirante está presente, também, no Facebook e Twitter.

Aumento do salário mínimo vai injetar R$ 47 bi na economia

Cálculo é do Dieese. Novo valor do piso salarial nacional passa a vigorar no dia 1º de janeiro.

SÃO PAULO – O aumento do salário mínimo vai injetar R$ 47 bilhões na economia brasileira, segundo cálculos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O órgão divulgou hoje (27) uma nota técnica sobre os impactos na economia do novo valor do piso salarial nacional, que passa a vigorar no dia 1º de janeiro.

No ano que vem, o salário mínimo passa dos atuais R$ 545 para R$ 622. O aumento de R$ 77 representa um acréscimo de 14,13% no piso nacional. Descontada a inflação estimada para 2011, o aumento real do salário mínimo deve ser de 9,2%.

Segundo o Dieese, 48 milhões de pessoas têm sua renda vinculada ao valor do salário mínimo e, portanto, serão diretamente beneficiadas com o aumento. O governo, também, passará a arrecadar R$ 22,9 bilhões a mais devido ao aumento do consumo causado pelo reajuste.

Jovem ferida por tiro em carro de Adriano será operada

A jovem Adriene Cyrilo Pinto, de 20 anos, baleada na mão na madrugada de sábado (24) dentro do carro do jogador Adriano, passa por cirurgia hoje. O tiro causou a fratura do dedo indicador da mão esquerda, o que tornou necessária a cirurgia. Ela foi internada no Hospital Barra d''Or, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, no último sábado, e a pedido de Adriene, a assessoria do hospital está impedida de passar informações sobre o procedimento cirúrgico.
O delegado titular da delegacia da Barra da Tijuca (16º DP), Fernando Reis, pretende fazer uma acareação entre Adriano e a jovem, porque considerou "gritantes" as contradições nos depoimentos colhidos até agora. Adriano e três testemunhas sustentam que foi a própria vítima quem fez o disparo quando brincava com a arma, enquanto Adriene aponta o jogador do Corinthians como o responsável pelo tiro acidental que a atingiu.

'Minha Casa, Minha Vida' abre cota para idosos e deficientes

O governo federal alterou os critérios de seleção dos candidatos a beneficiários do programa Minha Casa, Minha Vida. A regulamentação foi publicada em portaria publicada nesta terça-feira (27) no "Diário Oficial da União". Entre as mudanças está a indicação de percentual de unidades que devem ser reservadas para idosos e pessoas com deficiência.
O Minha Casa, Minha Vida é um programa habitacional do governo federal para construção de moradias em parceria com estados e municípios. Ele foi lançado em março de 2009, na gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com a meta inicial de construir 1 milhão de moradias populares.
O novo texto, que revoga a portaria número 140 publicada em 6 de abril de 2010, determina que sejam reservadas, no mínimo, 3% das unidades para idosos. O mesmo percentual deve ser respeitado para pessoas com deficiência ou seus famíliares diretos.
Na portaria de 2010, ficava determinado que os dois grupos deveriam ser atendidos segundo "percentuais mínimos previstos nos normativos específicos dos programas integrantes", sem determinar textualmente os números.
Limite de renda
Entre as novidades, o novo texto retira a citação à exigência de que os candidatos tenham renda familiar mensal bruta limitada a R$ 1.395,00. O governo já havia anunciado adequação nos valores quando deu detalhes da programação do Minha Casa, Minha Vida 2.
Com a mudança, a primeira condição da seleção é que o candidato já esteja inscrito em cadastros habitacionais do Distrito Federal, estados ou municípios. A mesma condição já estava citada na portaria anterior. Cada um dos programas habitacionais locaisi já deve prever critérios de renda e condição social para inscrever os candidatos.
Fiscalização
A Ministério das Cidades incluiu na regulamentação novos procedimentos operacionais que exigem que a Caixa Econômica Federal seja responsável por finalizar o processo seletivo com validação das informações prestadas pelos candidatos.
O banco deverá enviar aos responsáveis pela seleção uma lista com os candidatos aptos e outra com os que tiverem informações incompatíveis. De acordo com a portaria, esta relação deve ser publicada pelo responsável pela seleção.
Em outubro, reportagem do Fantástico apresentou a existência da cobrança de taxas por ONGs que forjavam documentos para burlar regras de acesso ao programa.

Insegurança campeia na zona rural dos Cocais após fechamento de posto policial

As populações da zona rural da região dos Cocais está à mercê da marginalidade desde que o Governo do Estado resolveu fechar o único posto policial existe na localidade conhecida como Baú, um entroncamento localizado num trecho sem asfalto da BR-226, entre Graça Aranha e Timon, que serve de interseção com outras estradas sem revestimento que levam a Caxias (40 km), Matões (60 km), Parnarama (80 km) e Buruti Bravo (120 km).
Construído e inaugurado no Governo José Reinaldo Tavares (PSB), o posto policial do Baú garantia tranqüilidade aos moradores da região. O índice de criminalidade era baixíssimo e não se ouvia falar em assaltos ou roubos de motocicletas, conforme depoimentos de lideranças políticas e comunitárias ouvidas pelo JP.
Após o fechamento e retirada dos policiais, segundo elas, ninguém se arrisca viajar a noite, pois os assaltos a mão armada viraram rotina. “Toda a zona rural dos Cocais está sem segurança porque os bandidos assaltam em Teresina e estão se escondendo aqui por falta de policiamento. Ninguém tem coragem de viajar mais de moto. O fotógrafo Biaman Prado, em agosto passado, teve que vir aqui em Matões fazer umas fotografias e foi assaltado duas vezes antes de chegar com seu carro no hotel”, relata o ex-deputado estadual Rubéns Pereira, hoje secretário de Obras do município.
A gravidade do problema é dimensionado pelo tamanho da população que vive no campo. Matões, por exemplo, possui 32 mil habitantes, sendo 17 mil na zona rural, enquanto em Parnarama outros 19 mil sobrevivem da agricultura e estão nos povoados sem segurança e sem ter a quem recorrer em casos de violência praticada contra as comunidades de lavradores.
A prefeita de Matões, Suelly Pereira (PSB), diz que já foi encaminhado ofício ao Governo do Estado solicitando a reabertura do posto policial, mas que até o momento não houve resposta. “O documento foi entregue ao vice-governador Washington Oliveira (PT), que ficou de ver o problema, mas o posto continua fechado e sem uma explicação lógica para a retirada dos quatro policiais que faziam a segurança na área”, observou a prefeita.
A vereadora de Buriti Bravo, Luciana Leocádio (PDT), mostra-se assustada com a onda de assaltos na região. Segundo revelou à Reportagem do JP, já assaltaram até o Fórum da cidade. “Estamos tentando fazer uma audiência pública para discutir a segurança do nosso município. O delegado que responde por Buriti é de Passagem Franca e não temos sequer prédio para a delegacia, que funciona no prédio da prefeitura. Isso é um absurdo, queremos que o governo tome uma providência”, cobra.
Luciana conta que a cidade de Buriti Bravo viveu há pouco tempo em clima de terror por conta de um marginal foragido da Justiça que se instalou no município e durante três meses violentou mulheres, assaltou, pintou e bordou por falta de um policiamento. A vereadora conta que, após este episódio, a população está pagando uma empresa particular chamada “Rota Noturna” para fazer a segurança da cidade. Cada residência, para ser protegida, paga R$ 30,00 e o comércio R$ 50,00.
Vizinha à cidade de Teresina (PI), a zona rural de Timon serve de atrativo para a bandidagem se esconder sem ser importunada pela Polícia. Segundo o vereador Chagas Cigarreiro (PSB) os marginais estão introduzindo drogas na zona rural e não tem quem combata. “Fizemos uma passeata dia 10 de dezembro para chamar a atenção das autoridades para a questão da insegurança, pois temos apenas uma viatura para 160 mil habitantes, mas pregamos no deserto. Continuamos a mercê dos marginais”, lamentou.
Para o vereador Cigarreiro, a falta de barreira policial na ponte que liga o Piauí ao Maranhão, como antigamente, deixa os bandidos livres para cometerem seus crimes. “Os comerciantes de Timon estão desesperados porque o governo não olha para a região, não dá a menor assistência e nos deixa a mercê da marginalidade, tanto na cidade como no campo”, condenou Cigarreiro.
O líder comunitário Reginaldo Janjão, morador do povoado Quilombo, localizado na divisa entre Caxias e Matões, adverte que após o fechamento do posto policial do Baú, aumentaram os assaltos e a população está insegura. Reginaldo narra que há dois meses homens fortemente armados fecharam a MA-034 para assaltar motoristas e passageiros. “A governadora não pode virar as costas para a segurança na zona rural, somos maranhenses e queremos ser tratados com dignidade”, sentenciou Janjão.

Dor e comoção marcam velórios das vítimas do acidente na Av. Guajajaras

No final da manhã de domingo (25), quatro pessoas morreram e pelo menos 10 ficaram feridas em um grave acidente ocorrido na Avenida Guajajaras, próximo à empresa Ferro Norte. Uma caminhonete Mahindra, cabine dupla, capotou várias vezes, após o motorista perder o controle quando atingiu a traseira de uma motocicleta, no sinal do cruzamento da Guajajaras com a Avenida Thales Neto, no Bairro do João de Deus. Três ocupantes da caminhonete e o carona da moto morreram no local. Durante todo o dia de ontem (26), os velórios aconteceram simultaneamente em quatros pontos da capital maranhense, com muita comoção e dor de amigos e familiares.
As pessoas que morreram no acidente são Alana Larissa Costa Santos, de 16 anos, residente na Rua Santo Antonio, n° 60, Jardim São Cristóvão; Paulo Henrique de Jesus Melo, 23, morador da Rua Nossa Senhora da Batalha, n° 54, Santa Cruz; e Polyanna Michely de Jesus Moraes, 21, residente na Rua A, quadra 37, n° 55, Cohatrac I, todos passageiros da caminhonete. E André Ricardo Silva Cherrim, 24, morador da Rua São Sebastião, n° 23, no São Bernardo, que ocupava a garupa da motocicleta.
Foto: Divulgação e Alessandro Silva
Veículo capotou várias vezes, provocando a morte de quatro pessoas e entre elas Polyanna Michely, André Ricardo e Alana Larissa (no detalhe)
Segundo o pai da estudante Alana Costa, o frentista Gimafrim Campelo Santos, de 36 anos, a adolescente teria saído de casa sem avisar a ninguém aonde iria. Ele explicou que, quando chegou do trabalho, na manhã de domingo (25), convidou a filha para ir até a casa da avó com ele, mas Alana disse que ficaria descansando um pouco e que mais tarde iria até o local. “Acreditei nela, pois vi que logo adormeceu no sofá. Resolvi sair e quando soube foi da ocorrência do acidente. Fui informado que o veículo no qual ela estava seguia em direção à praia e tinha muita gente, sendo que a maioria estava na carroceria do automóvel. As notícias dão conta de que o motorista, que estava na companhia da mulher e do filho – um bebê de colo, trafegava em alta velocidade e altamente embriagado. Minha filha foi arremessada e morreu na hora. Não sei o que fazer, mas vou tomar providências. Soube que o carro dirigido por ele seria da empresa na qual trabalha, a Vip Vigilância, e que os patrões teriam pago a fiança dele para que fosse liberado da delegacia”, disse ele, afirmando que o sepultamento estava marcado para as 16h de ontem, no Cemitério do Cajupe, no Bairro da Santa Bárbara.
Parentes velam o corpo de Paulo Henrique, no Santa Cruz
A ex-mulher do vendedor Paulo Henrique Melo, Jéssica Silva Aguiar, relatou que ele havia amanhecido na companhia de amigos, familiares e da atual namorada, celebrando o Natal, e logo pela manhã resolveram continuar as comemorações na praia. Ela relatou que o ex-marido, com o qual tem um filho, saiu na companhia da namorada e de três irmãos, sendo dois de seis e nove anos e uma adolescente de 16 anos, Thays Cristine de Jesus, que está internada na UTI do Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão 2), em estado grave. “Paulo conhecia o condutor do veículo e, talvez, por isso tenha confiado em sair com ele, mesmo depois de já terem bebido. Foi um fato lamentável e muito triste, felizmente as crianças sofreram apenas leves escoriações, assim como o filho do motorista”, informou. O sepultamento dele iria ocorrer às 15h, no Cemitério do Iguaíba.
Outra versão – O primo de Pollyana Moraes, Iago Leandro, narrou outra versão do acidente e contou que no dia do fato a vítima, que teria passado a noite na companhia de amigos, telefonou para a residência dos pais com os quais morava, avisando que ia almoçar em casa junto com o namorado Paulo Henrique, porém, não apareceram. Iago explicou que, segundo informações, os dois estariam esperando no canteiro central da Avenida Guajajaras para atravessar a via quando foram colhidos pelo veículo. Ela teria quebrado o pescoço, o braço e as duas pernas e morrido no local, mas a família só soube do fato por volta de 19h30. Pollyana era estudante de um curso técnico de enfermagem. O enterro foi às 15h, de ontem, no Cemitério Jardim da Paz.
O taxista João Carlos da Silva Cherrim, de 22 anos, irmão do funcionário público André Cherrim, explicou que a vítima havia pegado uma carona com o motoqueiro José Raimundo Martins Silva, 25, que também foi atingido e internado no Socorrão 2, mas passa bem. Ele disse ter sido informado que a caminhonete já estava capotando quando o motociclista entrou na avenida. “Meu irmão sacou da moto. Ele quebrou o pescoço, a bacia e duas costelas, só por um milagre de Deus escaparia. André era uma boa pessoa e, com certeza, fará muita falta. Somos sete irmãos, porém, só eu e ele morávamos com nossos pais, vai ser um choque para eles”, declarou. O enterro do funcionário público ocorreu às 10h, no cemitério do Tibiri.
Segundo informações da Polícia Militar, no dia do fato o condutor do veículo foi identificado como Moisés Carlos da Silva Campos, de 38 anos. A polícia explicou que o carro pode levar somente cinco pessoas, porém, estava com o dobro da capacidade. O condutor teria apresentado sinais de embriaguez e na caminhonete teriam sido encontrados recipientes térmicos e restos de bebida. A Polícia Civil havia solicitado ao Instituto de Criminalística (Icrim) um teste para detectar o nível de álcool no sangue do motorista. O caso está sendo conduzido pela Delegacia Especial da Cidade Operária (Decop).

Usuário de drogas mata menina com golpe de faca na Raposa

Um crime bárbaro encheu de tristeza e revolta a Rua da Alegria, no Bairro da Juçara – município de Raposa, por volta das 7h30 de ontem (26). A menina Ingrid Silva Coutinho, de apenas um ano e oito meses, foi morta com um golpe de faca no peito esquerdo, desferido por Edmir Cardoso de Azevedo, conhecido como “Bill”, de 23 anos, que seria usuário de drogas. Revoltados, populares prenderam e espancaram o acusado, que só não foi morto devido à chegada de uma guarnição da Polícia Militar.
A mãe de Ingrid, a doméstica Maria Diana Veloso, de 24 anos, disse que estava tratando um peixe, no interior da quitinete onde mora, que pertence à irmã do autor do crime, quando a mãe e o padrasto de Edmir, identificados apenas como Rosenis Cardoso e “Voador”, invadiram o imóvel tentando escapar de Bill, que corria atrás deles com uma faca. O casal teria se trancado na quitinete, impedindo Diana de sair para pegar a filha que brincava no quintal. “Eu dizia para eles me deixarem sair para pegar minha filha e eles não deixavam, dizendo que ele não iria fazer nada contra ela. Só abriram a porta, depois que viram por um buraco que Edmir tinha furado minha filha”, contou Diana.
Foto: Alessandro Silva e divulgação
Edmir sofreu tentativa de linchamento após matar Ingrid (detalhe)
A doméstica afirmou que, depois da porta aberta, correu em direção à criança, pegou ela em seus braços, saindo correndo em busca de socorro. Edmir ainda teria corrido para matar Diana que tentava socorrer a menina, mas foi impedido pelo avô materno de Ingrid, o vigilante Raimundo Machado da Silva, de 49 anos, que também estava no local, e se atracou com o acusado. “Nunca pensei que Edmir fosse fazer isso com minha filha. Ela chamava por Bill quando ele estava em casa. Ingrid nem chorou quando foi furada. Não sei como vou viver agora sem minha filha”, declarou Maria Diana, que está gravida de quatro meses e já teria perdido um filho em outra gravidez.
Segundo parentes da menina, Edmir foi preso, amarrado e trancado dentro de casa, mas a população invadiu o local dando início a um espancamento, com chutes e pauladas. “Eles só pararam porque pensaram que ele estava morto. Logo depois, a polícia chegou e levou Bill ainda respirando para o hospital”, contou uma vizinha, que preferiu não ser identificada.
Maria Diana relatou que, desde o início da manhã, a mãe do acusado estava pedindo ajuda para chamar o Corpo de Bombeiros, a fim de conduzir Bill para uma clínica psiquiátrica. Populares disseram que Edmir seria usuário de drogas e pertencente a uma família de traficantes, vindo da Pirâmide, e que ele teria matado uma pessoa neste bairro e ferido um senhor chamado Cleber para roubá-lo, na Raposa. “Eu só quero Justiça. Esse homem matou minha neta e não pode ficar em liberdade. Se ele é doido ou drogado, isso não dá o direito de matar uma inocente”, disse a avó materna da criança, Antônia Veloso Silva.
O corpo de Ingrid Silva Coutinho, filha do pescador Claudionilson Freitas Coutinho, de 26 anos, foi velado no próprio bairro onde morava, na casa de um amigo da família, e será enterrado hoje (27) no cemitério da Raposa.
Por medida de segurança, depois de ser medicado no Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão 2), Edmir Cardoso de Azevedo foi encaminhado para a Delegacia Especial de Paço do Lumiar onde foi autuado em flagrante por homicídio doloso, pelo delegado Francisco Cardoso, titular da Delegacia da Raposa.
Versão da família do acusado – Na delegacia de Paço do Lumiar, familiares de Edmir Cardoso contaram outra versão dos fatos. Segundo Vilma de Fátima Cardoso Guimarães, tia do acusado, o sobrinho tem problemas mentais, toma remédios controlados e já teria sido internado várias vezes.
De acordo com Vilma, Edmir estava em crise desde sábado (24), e não sabia o que estava fazendo. Ela afirmou que diante da falta de controle do sobrinho, os vizinhos saíram na rua, inclusive Maria Diana, para ver o que estava acontecendo e que a mãe do acusado teria gritado várias vezes para que a doméstica tirasse Ingrid da rua, porque sabia que o filho estava fora de si.
“Ele estava agitado, se golpeando com a faca que não o furava. Bill não sabe que matou a criança. Quando estava bem, dizia que em criança não se bate e sim se conversa”, justificou a tia de Edmir, que também ressaltou que seu sobrinho estava desaparecido desde sábado e só chegou em casa na madrugada de ontem, espancado.
Apesar das justificativas dadas pela família de Edmir, de que ele teria problemas mentais, o delegado explicou que não existem comprovações para isso e que caberá à Justiça avaliar essa questão.
Ameaças – Familiares de Ingrid teme represálias por parte do irmão de Edmir, cujo nome não souberam informar. Ele já esteve preso, mas agora está em liberdade e teria ameaçado a mãe da vítima.

Natal banhado de sangue em SL com 18 mortes

O Instituto Médico Legal (IML), da capital maranhense, registrou a morte de 18 pessoas durante o feriado do Natal, compreendendo a madrugada de sábado (24) e a noite de domingo (25), na região metropolitana de São Luís. Dez corpos foram de vítimas de homicídios e oito de três acidentes automobilísticos, ocorridos na Avenida Guajajaras, Estrada da Raposa e Panaquatira.
A primeira morte registrada pelo IML, na madrugada de sábado, foi a de Luís Fernando de Jesus Campos, de 23 anos, atingido a golpes de faca e tiros, no Bairro da Liberdade. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão 1), mas não resistiu aos ferimentos.
No início da manhã de sábado, por volta das 6h, deu entrada no IML o corpo de Rildo Ramos dos Reis, de 29 anos. Rildo foi morto com uso de arma branca, tendo sido degolado, na Cidade Olímpica.
Ainda no sábado, porém à tarde, foi registrada a morte de Gisélia Câmara Dominice, de 31 anos. Ela foi assassinada com golpes de faca no pescoço, no interior da barraca onde morava, às margens do Rio das Bicas – na Areinha.
Os crimes ocorridos no domingo, dia de Natal, começaram a ser registrados ainda na madrugada com a morte do adolescente Vanderson Santos Mendes, de 16 anos. Ele foi baleado no Bairro do Barreto, mas morreu no Socorrão 1.
Logo após, foi anotada no livro do IML a morte de Halisson de Jesus Furtado Gonçalves, de 26 anos. Ele e André Alves Gomes, que tinha a mesma idade do seu amigo, foram assassinados a tiros por uma pessoa que os dois, na companhia de mais três homens, teriam assaltado na Santa Efigênia – área da Cidade Operária. André ainda foi socorrido, mas morreu no Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão 2).
Outra vítima de homicídio, ocorrido no domingo, foi Natanael Santos da Silva, de 41 anos, morto a tiros na Gancharia/Anjo da Guarda. Quem também deu entrada no IML, desta vez morto com arma branca, foi Anselmo Marques Borges, 26, morto com uso de arma branca, no Altos do Turu – região do Parque Vitória.
Os dois últimos corpos a darem entrada na sala de necropsia do IML, no domingo, foram os de Deoclides de Sousa Lopes, de 52 anos, e de Zilmar Campos Escócio, 39. O primeiro foi morto a facadas, na Vila Luizão; e o segundo, a tiros, na Liberdade.
Acidentes – Fora o alto número de homicídios registrados no final de semana, o que também chamou atenção foi a quantidade de pessoas mortas vítimas de acidente de trânsito, na Grande Ilha, um total de oito, todas durante o dia de domingo. Em duas das ocorrências, morreram sete pessoas, quatro na Avenida Guajajaras e três no Panaquatira.
O primeiro acidente foi registrado por volta das 10h30, na Avenida Guajajaras, envolvendo uma caminhonete Mahindra e uma motocicleta. Neste, morreram três ocupantes da picape e o garupa da moto. Os mortos foram identificados como André Ricardo Silva Cherrim, de 24 anos (garupa da motocicleta); Alana Larissa Costa Santos, 16; Paulo Henrique de Jesus Melo, 23; e Polyanna Michely de Jesus Morais, 21. Esta ocorrência deixou várias pessoas feridas, que foram levadas para o Socorrão 2.
Por volta das 12h30, no Panaquatira, foi registrado outro acidente de trânsito com morte. Desta vez, morreram três pessoas da mesma família, a mãe, um filho e uma sobrinha da mulher.
Segundo informações do Plantão Central da Cidade Operária, as vítimas ocupavam um veículo Celta vermelho, com mais outros parentes, quando foram surpreendidos por um Siena que colidiu frontalmente com o Celta. Os morto neste acidente foram Maria do Espírito Santos Rabelo da Costa Sous, de 42 anos; a sobrinha dela, Ana Priscila Costa Santos, 18; e o filho da primeira vítima, identificado como Rannierisson Costa de Sousa, que conduzia o Celta.
Durante a tarde de domingo, foi registrada ainda a morte do motoqueiro Antônio Gerson da Silva Costa, de 24 anos. Ele pilotava uma motocicleta na estrada que liga o Araçagi ao município de Raposa (MA-202), quando se chocou de frente com um ônibus que faz a linha Raposa/Araçagi.