quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Quatro mulheres e um destino trágico na vida do goleiro Bruno

 (Paulo Figueira/EM/DA Press)

Elas gravitam em torno de Bruno Fernandes no inferno astral no qual o goleiro que serviu ao Galo, Corinthians e Flamengo se meteu: Eliza, Dayane, Fernanda e Ingrid. Uma está presumivelmente morta. Das demais, apenas uma pode confortá-lo. Quando Ingrid, Fernanda e Eliza chegaram à vida do jogador, Dayane já estava lá. Qual Bruno mais ama ou amou, não se sabe. Ele nunca falou. Mas a de quem menos gostou, não há dúvida: Eliza. Tanto que responde por sequestro, cárcere privado e morte da moça.

Dayane Rodrigues do Carmo Souza, hoje com 25 anos, conheceu Bruno antes de entrar na adolescência. Ela tinha 12 e ele 14 quando se conheceram, em Ribeirão das Neves, Grande BH. "Meu primeiro namorado", disse ela em depoimento à polícia. Bruno ainda era um candidato a jogador profissional. Ela, aos 17, e ele, aos 19, se casaram. "Eu estava muito apaixonada. Bruno sofreu muito na infância, sem pai nem mãe, mas sem se envolver com drogas ou com criminalidade". Um protótipo de bom marido. Ela só não aprovava o que chamou de "más companhias". "Foi quando apareceram os amigos. Quem não era, se tornou amigo."

Mas a oferta de mulheres no mundo do futebol é maior do que a demanda. Há louras e alouradas para todos os gostos. E, com quatro meses de casada, Dayane percebeu que o marido não estava resistindo às investidas. Ela entrou nos 19 anos como mãe. Nasceu Maria Eduarda. A filha mais nova, Bruna Vitória, veio à luz quando o casal já estava no Rio de Janeiro. Ele a serviço do Flamengo. "Bruno sumia muito. Às vezes, se concentrava no sábado, jogava no domingo e só aparecia na segunda." Óbvio, o casamento começava a azedar. "E me cansei dele". E o relacionamento passou a ser do tipo tapas e beijos. Ela contou em depoimento que "apanhava e batia" ou "batia e apanhava".

Nos idos de 2008, o goleiro engatou namoro com a dentista carioca Ingrid Calheiros Oliveira, que vai fazer 27 anos no dia 30. Dayane só ficou sabendo dessa primeira rival em abril de 2009. "Passamos a nos relacionar e ficamos noivos em 2009", disse Ingrid. O que ela não sabia é que, quando pôs a aliança no dedo, havia outras mulheres na vida do jogador, além dela e de Dayane. Em uma das festinhas de boleiros, Bruno conheceu Eliza, uma modelo que se iniciara também na carreira de atriz com um filme pornô. Fizeram sexo uma vez e ela engravidou. "O comentário é que todos ficaram com ela e só o Bruno vacilou", contou Dayane.

Eliza, grávida, só pensava no futuro do filho. Passou a cobrar de Bruno a paternidade da criança, uma modesta pensão e um apartamento para morar. No meio dos dois, Luiz Henrique Romão, o Macarrão. Aliás, o amigo e ajudante de ordens do goleiro esteve sempre no caminho das quatro mulheres. Eliza não sabia que estava botando a mão em casa de marimbondos. Já rolava no Rio de Janeiro o inquérito ao qual Bruno respondia por sequestro e cárcere privado de Eliza, crimes pelos quais foi condenado, quando Ingrid conheceu Fernanda Gomes de Castro, natural do Rio de Janeiro, hoje com 35 anos, mãe de dois adolescentes e sem profissão definida.

O encontro entre as duas foi na casa do goleiro, no Recreio dos Bandeirantes, no Rio, não sem certo constrangimento e boa dose de mentira. Quando perguntou a Bruno quem era "aquela mulher", o jogador respondeu que se tratava de uma namorada de Macarrão. E, quando Fernanda perguntou a Macarrão sobre Ingrid, ele respondeu que se tratava de uma ex-noiva de Bruno. O amigo e ajudante de ordens do jogador parecia não se incomodar com Fernanda, mas não caía nas graças de Ingrid. "Achava que ele se intrometia no meu relacionamento com Bruno." Macarrão acreditava que a dentista estava "de olho no dinheiro" do goleiro, como disse Fernanda.

"Lembro-me bem do dia em que conheci a Ingrid. Foi em 14 de julho de 2009, quando ganhei um notebook, presente do Dia dos Namorados", disse Fernanda, que já conhecia Dayane e conheceu também Eliza. Que cadeia de infidelidade Bruno arrumou. Fernanda, por meio de depoimentos colhidos no processo do desaparecimento da modelo e mãe de Bruninho, era a que se comportava de forma mais romântica com relação ao goleiro. Chamava-o de "meu docinho", segundo as amigas. Os vizinhos no Bairro Santa Cruz, no Rio de Janeiro, a descreveram como uma boa moça, carinhosa, prestativa. "Uma das características dela é ser disponível a qualquer pessoa", declarou o padre Jorge Pereira Bispo, da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, de Santa Cruz.

Tão boa que não recusou chamado para comparecer à casa de Bruno no Recreio dos Bandeirantes, quando Eliza foi sequestrada por Macarrão e o então menor J.L.L. A missão dela na residência do goleiro era tomar conta de Bruninho, então com três meses de vida. Quando o grupo embarcou em dois carros rumo a Minas, um deles, a Range Rover, transportando Eliza, Fernanda também veio, mas em outro carro, uma BMW, com Bruno e outro dos acusados. Fernanda foi convidada para assistir ao um jogo do Cem por Cento, time mantido por Bruno, em Neves.

Fernanda fez sucesso em Ribeirão das Neves. "Uma loura tipo mulherão", disseram quase todos os homens da cidade da Grande BH ouvidos no inquérito. Ela, em depoimento, não negou a presença de Eliza no sítio do jogador e até a viu na arquibancada no jogo do Cem por Cento, com Bruninho a no colo. E deixou a rapaziada de boa aberta na festa comemorativa da vitória da equipe em um boteco da cidade. Fernanda conviveu com Eliza e Dayane no sítio do jogador, em Esmeraldas, na Grande BH, até a partida da equipe para uma partida amistosa no Rio de Janeiro, em 10 de julho de 2010, data do desaparecimento da modelo, mãe de Bruninho.

Tanto Fernanda quanto Dayane dizem não saber o destino de Eliza. As duas tentaram protegê-lo também quando disseram que não viram se a modelo estava com a cabeça machucada. Elisa levou uma coronhada de J.L.L. quando foi apanhada no Rio. Dayane até quis ajudar mais ainda o ex-marido ao deixar Bruninho aos cuidados de outras pessoas em Ribeirão da Neves, com o nome de Ryan Yure, com o propósito de escondê-lo, conforme as investigações, depois do sumiço da mãe do menino. O depoimento das duas, que também estarão no banco dos réus, pode ser favorável ou não ao goleiro, mas a única que poderá confortá-lo se for condenado é a dentista Ingrid. Ela já o visitou no presídio. Prova de amor? Ninguém sabe.

Ibama autoriza Vale a duplicar Estrada de Ferro Carajá

 (Olhares/Divulgação)

A Vale obteve ontem licença expedida pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) para realização das obras de duplicação da Estrada de Ferro Carajás, que liga Paraupebas (PA), onde fica a Serra de Carajás, a São Luís, de onde o ferro extraído no Pará é exportado pelo porto da Ponta da Madeira. O diretor da mineradora, Dorgival Pinheiro, comemorou ontem a decisão, mas não soube precisa quando os serviços serão iniciados, já que a decisão será tomada pela direção nacional da empresa. 

Com 892 km, a ferrovia é uma das mais modernas do mundo. Por ela são transportados, além do ferro extraído pela Vale, manganês, carga em geral e passageiros. Sua duplicação é parte estratégica dos planos da mineradora para aumentar sua inserção no mercado internacional, principalmente depois da entrada em operação da S11D, nova mina descoberta no território paraense. 

De acordo com a Vale, já foram investidos neste processo de duplicação U$ 2,8 bilhões. Com a expansão, a mineradora deve aumentar sua capacidade de transporte das atuais 130 milhões de toneladas por ano (Mtpa) para 150 milhões de toneladas em um primeiro momento, devendo chegar a 230 Mtpa, ou seja, praticamente o dobro.

EMBARGA
No mês de setembro, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Mário César Ribeiro, suspendeu uma decisão do juiz federal da 8ª Vara de São Luis, Ricardo Felipe Rodrigues Macieira, que determinava a realização de Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental (EIA-RIMA) com análise em todas comunidades quilombolas e de povos indígenas afetadas ferrovia. 

A decisão do juiz foi em atendimento à Sociedade Maranhense dos Direitos Humanos, Conselho Indigenista Missionário e Centro de Cultura Negra do Maranhão (CCN-MA), que alegaram que a duplicação poderia provocar danos "a espaços especialmente protegidos e ao modo tradicional de vida do povo indígena Awa Guajá", principalmente em Zé Doca e São João do Caru, bem como prejudicar comunidades remanescentes de quilombos em Anajatuba, Arari, Miranda do Norte, Santa Rita e Itapecuru-Mirim.

A Vale recorreu ao TRF com as alegações de que não havia nenhuma irregularidade no processo de licenciamento ambiental, que a paralisação das obras acarretaria em uma grave lesão à ordem pública e que a decisão poderia gerar um episódio de demissão em massa. Ao analisar o requerimento e decidir pela liberação das obras de duplicação, o presidente da TRF afirmou que a paralisação das obras poderia ser potencialmente

Corpo de homem é encontrado com marcas de tiros na cabeça

.
Foto: Domingos Ribeiro / Rádio Mirante AM
SÃO LUÍS - O corpo de um homem, até o momento não identificado, foi encontrado por populares na manhã desta quinta-feira (15) no matagal da "Matança", localizado no trecho que liga os bairros Santa Cruz e Anil, na capital maranhense. Segundo as primeiras informações, o homem foi morto com vários tiros na cabeça.
Ele não portava documentos e não foi reconhecidos por moradores da região. O homem estava vestindo apenas um short jeans. A polícia investiga o caso.

Carreta pega fogo no Km 19 da rodovia BR-135

Caminhão de distribuidora de bebidas se chocou contra automóvel. Veículos ficaram destruídos.
.
Foto: De Jesus/O Estado
SÃO LUÍS - Um acidente ocorrido por volta das 16h de ontem (14), no Km 19 da BR-135, no sentido interior/São Luís, por pouco não terminou em morte. Um automóvel modelo Linea colidiu lateralmente com um caminhão de uma distribuidora de bebidas, que seguia no mesmo sentido. Ao se chocar com o tanque de combustível do caminhão, houve um incêndio que destruiu completamente os dois veículos. Os motoristas envolvidos no acidente e uma passageira que estava no automóvel, cujos nomes não foram revelados, conseguiram sair a tempo dos veículos e sofreram apenas ferimentos leves.
De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente teria sido causado por uma manobra malsucedida do condutor do caminhão que, ao realizar uma mudança de faixa indevida na rodovia, não observou a passagem do automóvel. Em seguida, houve a colisão. O Corpo de Bombeiros do Maranhão (CBMMA) foi acionado para controlar o incêndio.
Segundo o inspetor da PRF, Júlio Henriques, que acompanhou a ocorrência, a imprudência foi a principal causa do acidente. “Devido à má condução do motorista do caminhão, que realizou procedimento incorreto de manobra em uma rodovia, por pouco não houve uma tragédia hoje [ontem] aqui, na BR-135, considerada a mais perigosa do estado”, afirmou.
/lib/imgBinary.asp?path=\fotos_mat\carreta15112012g01.jpg&width=460&height=345&interpolation=1&sharpen=0&sharpenvalue=&rotate=0/lib/imgBinary.asp?path=\fotos_mat\carreta15112012g02.jpg&width=460&height=345&interpolation=1&sharpen=0&sharpenvalue=&rotate=0/lib/imgBinary.asp?path=\fotos_mat\carreta15112012g03.jpg&width=460&height=345&interpolation=1&sharpen=0&sharpenvalue=&rotate=0/lib/imgBinary.asp?path=\fotos_mat\carreta15112012g04.jpg&width=460&height=345&interpolation=1&sharpen=0&sharpenvalue=&rotate=0

Polícias Civil e Militar prendem estuprador em Presidente Dutra

Agentes civis lotados no município de Presidente Dutra, com apoio dos policiais militares, realizaram, na manhã da última terça-feira (14), a prisão de Damião Bernardo Vieira da Silva, 42 anos, em cumprimento a um mandado de prisão. Ele é suspeito de abusar sexualmente da própria enteada de 12 anos de idade.
Conforme explicou o delegado de Polícia Civil, Paulo Franco, titular de Presidente Dutra, após investigações, foi representado junto ao Poder Judiciário pela prisão de Damião Bernardo, de acordo com o inquérito policial que o apontava como autor do abuso sexual praticado contra uma menor de 12 anos.
Ainda conforme a polícia, Damião estava sendo investigado há cerca de um mês. Ele havia sido denunciado pela própria companheira que presenciou o fato contra a sua filha. O crime ocorreu na residência do casal localizada no Povoado Angical. Em depoimento prestado ao delegado Paulo Franco, a menor informou que já vinha sofrendo abuso sexual há pelo menos três anos.
Damião Bernardo foi comunicado, pelas equipes policiais, do cumprimento do mandado de prisão preventiva expedido pela juíza Cláucia Almeida, Titular da Comarca de Presidente Dutra, no seu local de trabalho localizado na Avenida Olavo Sampaio na BR-135.
Ele permanecerá custodiado na delegacia regional local. A delegada Regina Oliveira, titular da Delegacia da Mulher (DEM) dará prosseguimento às investigações.

Conta de cinco prefeituras bloqueadas em uma semana

Em apenas sete dias, cinco municípios maranhenses foram penalizados por medidas judiciais com o bloqueio total ou parcial de suas contas. As decisões, de acordo com os magistrados, são para garantir o pagamento de vários servidores que estariam em atraso, a última delas em Vitorino Freire, cidade localizada a 309 quilômetros da capital.
 
No último dia 7, o juiz da 4ª Vara Cível de Timon, Simeão Pereira e Silva, determinou o bloqueio de 70% de todos os saldos das contas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) do município, para garantir o pagamento dos vencimentos atrasados dos servidores públicos municipais, incluindo os débitos remanescentes do ano de 2011.
 
A ação judicial impetrada pelo Ministério Público foi motivada pelo débito que a prefeitura tem com os servidores da Saúde e da Educação, que corresponde a R$ 5,6 milhões, incluindo salários não pagos referentes aos meses de junho e julho de 2011 e 2012, além do 13º de 2011.
 
Dois dias depois, 60% dos recursos do FPM de Estreito também foram bloqueados pelos mesmos motivos. O juiz Gilmar de Jesus Everton Vale (1 ª Vara da Comarca de Estreito) também determinou que a instituição financeira onde as contas do municípios estão depositadas, proibiu que o prefeito local realizasse saques em espécie das contas da prefeitura e que as movimentação das contas do Município fosse realizadas somente por meio de cheques ou transferências bancárias, sempre preservandoos valores para o pagamento dos servidores conforme determinado judicialmente.
 
No mesmo dia as contas de Santa Luzia e Alto Alegre do Pindaré também foram bloqueadas. Nos dois municípios os vencimentos dos servidores estariam dois meses atrasados, de acordo com as representações do Ministério Público.
 
No último caso, divulgado nesta quarta-feira (14), os recursos do FPM e Fundeb de Vitorino Freire foram bloqueados totalmente. Segundo a medida liminar, eles serão utilizados para colocar em dia o pagamento dos servidores municipais, que estariam atrasados a quatros, de acordo com a denúncia do Ministério Público.
 

Polícia Militar recupera dois carros roubados e prende foragido

José Fernando Morrison possui processos em vários Estados por roubo e furto de veículos.
.
Foto: Divulgação/PM
TIMON – A Polícia Militar realizou, na tarde desta quarta-feira, a prisão de José Fernando Morrison Goytacaz, 54 anos, que é natural do Rio de Janeiro e possui vários processos em São Paulo, Bahia, Ceará e Maranhão por furto e roubo, além de um mandado de prisão em aberto no Estado de São Paulo.
A prisão de José Fernando aconteceu, devido a uma investigação feita pelo Serviço de Inteligência da PM em Timon, que monitorou possível venda de carros e som roubados na Ceasa da cidade. A polícia verificou que haviam dois carros com o acusado, um Monza placa LVH-8314 e um Fiat Uno Mile placa HOL-9545, de Timon, ao ser preso, José informou que o veículo Fiat havia sido roubado em Teresina. O criminoso afirmou que levaria o veículo para o desmanche e venderia suas peças para abastecer o Monza e ir para Passagem Franca.
Segundo a polícia, José Fernando ainda vendeu um toca cd por R$ 100 a uma pessoa que foi conduzida pelo GOE até a central de flagrantes. Foi encontrado, ainda, outro toca cd e cinco celulares no interior do veículo. Jose Fernando era conhecido na Ceasa e tinha livre acesso a vários locais e pessoas que chegavam para falar com o mesmo e negociar vários produtos.
O acusado foi detido por uma equipe da Força Tática, sob o comando Major Medeiros (comandante do 11º BPM), composta pelos Policiais militares Bacelar, Augusto e Romério.

População esquarteja homem que matou ex-mulher em Mirinzal

ilton Pinheiro Cardoso, de 46 anos, foi morto e esquartejado pela população na noite dessa quarta-feira (14), na cidade de Mirinzal, no Maranhão.
.
SÃO LUÍS - Nilton Pinheiro Cardoso, de 46 anos, foi morto e esquartejado pela população na noite dessa quarta-feira (14), na cidade de Mirinzal, no Maranhão. Nilton Pinheiro é acusado de ter esfaqueado a ex-mulher, Josenilde Mendes Abreu, de 24 anos, por não aceitar o fim do casamento. Josenilde Mendes, que era professora na cidade de Mirinzal, morreu na hora. Nilton Pinheiro, também, teria esfaqueado a sogra Antônia Mendes Abreu, que chegou a ser socorrida e encaminhada para o hospital.
A população, revoltada com o crime cometido por Nilton Pinheiro, começou uma busca pelo principal assassino da professora e, quando o encontraram, esfaquearam e esquartejaram.

Sistema portuário recebeu 144 navios no mês de outubro

Movimentação de cargueiros nos portos de SL foi 11,1% menor do que no mesmo período do ano passado.
.
Foto: Biné Morais / O Estado
SÃO LUÍS - O Complexo Portuário de São Luís (CPSL), que integra o Porto do Itaqui e os terminais de uso privativo (TUP) Ponta da Madeira e Alumar, recebeu 144 navios em outubro deste ano, o que significa 11,1% a menos do que foi registrado no mesmo período de 2011, com 160 embarcações. Os dados são da empresa de praticagem Pratimar, que monitora diariamente o tráfego de navios mercantes no setor portuário da Ilha, bem como estatísticas (com dados do ano passado) da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap).
Com 12 atracadouros em operação (dois no Terminal da Alumar, três em Ponta da Madeira e sete no Itaqui) considerando o resultado global de outubro deste ano, a taxa média de atendimento de navios no sistema portuário ficou em 4,6 navios por dia, com média de operação de 5,1 horas por navio.
Destaque para a movimentação de navios no Porto do Itaqui, que computou 58 embarcações no mês passado, o melhor resultado do período. O maior número de atracações no período em referência ocorreu nos atracadouros destinados a operações com derivados de petróleo do porto (berços 104 e 106).
Foram 16 atracações no berço 104 e mais 15 no berço 106 do Itaqui. Em seguida ficou o berço 102, com 12 operações. O berço 101 teve sete registros e os berços 100 e 103 tiveram quatro atracações cada um.
Há também o Porto Grande, antigo terminal pesqueiro que atualmente é utilizado para atracação de embarcações de apoio marítimo (offshore), com duas atracações.
Privativos
O Terminal Portuário Ponta da Madeira (TPPM), administrado pela Vale, recebeu 55 navios no período em referência. De acordo com as estatísticas, ocorreu um fato curioso na movimentação de embarcações no terminal: cada um dos três atracadouros (Píer I, Píer III/Sul e Píer III/Norte) atendeu 16 navios cada um.
Há também o Píer II, também denominado berço 105, localizado na área de cais do Porto do Itaqui, arrendado à mineradora, que recebeu sete embarcações. O Terminal da Alumar, de acordo com o relatório da Pratimar, recebeu 29 navios cargueiros em outubro deste ano, sendo 12 no berço 1 e 17 no berço 2.

Justiça destina 1,1 bilhão para ampliar vagas em presídios

O Programa Nacional de Apoio ao Sistema Prisional criará 42 mil novas vagas até 2014.
.
Foto: Divulgação
BRASÍLIA - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, reafirmou o seu posicionamento de que “prefere a morte a muitos anos de prisão em alguns presídios brasileiros”. Ele verificou as condições precárias e muitas vezes desumanas de presídios no Brasil nas visitas que fez a vários deles no início de 2011, logo que assumiu o cargo, quando constatou umdeficit de mais de 200 mil vagas no sistema prisional brasileiro. O ministro levou a questão à presidenta Dilma Rousseff e a União destinou R$ 1,1 bilhão para os Estados e o Distrito Federal, por meio do Programa Nacional de Apoio ao Sistema Prisional, ampliarem o número de vagas nos presídios. “O primeiro passo para solucionar um problema é jamais escondê-lo da população e não esconder o sol com a peneira", enfatizou Cardozo.
O ministro Cardozo está em uma viagem a trabalho em Lima (Peru) e concedeu uma entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (14/11), na sede do Ministério da Justiça, por videoconferência, para falar sobre o sistema prisional brasileiro.
Diante do cenário que conheceu in loco nos presídios brasileiros, o ministro da Justiça constatou que há 60 mil presos alojados em delegacias de polícia. Além disso, verificou a situação de presos que convivem com fezes, em espaços impossíveis onde não se pode dormir e em que são violentados e agredidos.
O Programa Nacional de Apoio ao Sistema Prisional criará 42 mil novas vagas até 2014. Já foram executados R$ 540 milhões (R$ 270 milhões em 2011 e R$ 270 milhões em 2012) para abrir 22 mil vagas em 60 unidades prisionais. Outros R$ 290 milhões já possuem dotação orçamentária para 2013.
O programa aprovou 20 projetos apresentados em 2011 e 40 apresentados em 2012. Os 20 referentes a 2011 estão com contrato assinado, enquanto os demais 40 foram aprovados e estão em fase de contratação. Até dezembro deste ano, os contratos referentes a essas 40 unidades serão assinados.
Em 2011, o Ministério da Justiça, por meio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen/MJ) executou R$ 270 milhões do Programa Nacional de Apoio ao Sistema Prisional. Os 20 projetos foram apresentados pelos Estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás (4), Minas Gerais, Mato Grosso (2), Pará, Piauí (2), Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Sul, Sergipe e Tocantins, aprovados em 2011 e que representam 8.479 vagas.
Este ano, foram entregues 3.300 vagas contratadas no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) do qual se originam a maior parte dos recursos do Programa Nacional de Apoio ao Sistema Prisional.
Segundo Cardozo, as dificuldades na execução do programa de criação de vagas nas penitenciárias não se devem a contingenciamentos no Orçamento, mas sim a problemas administrativos.
A questão da segurança pública é entendida pela União e pelo Ministério da Justiça como um fenômeno transversal e que deve ser trabalhado em várias frentes de atuação. Como a inédita campanha de vacinação de presidiários, recursos para a política de saúde do sistema prisional, o projeto de remissão de pena por leitura e trabalho e adoção de penas alternativas para desafogar o sistema prisional e possibilitar a ressocialização dos detentos.
Finalmente, Cardozo comentou que em várias situações um preso que comete um crime de menor potencial ofensivo que cumpre detenção em penitenciárias, acaba aprendendo na escola do crime ao invés de ter oportunidade de se ressocializar.