terça-feira, 17 de janeiro de 2012

História de um hospital confiscado por Roseana

Quando esteve em Pinheiro, na campanha vitóriosa para o governo do Estado, Jackson Lago anunciou um dos seus compromissos para com a cidade e demais municípios da região: a construção de um Hospital de Urgencia e Emergencia da Baixada, a ser cosntruído em Pinheiro.
Não demorou muito, José Sarney e sua tropa de choque, formada também por magistrados do STF, inicia o processo de cassação do governador. Provas são forjadas e depoimentos comprados. A qualquer custo e a qualquer preço, Sarney queria dar um presente a sua filha Roseana Sarney, derrotada nas urnas: o governo do estado.
Antes de ser golpeado e absurdamente apeado do poder, o Governo Jackson Lago depositou R$ 10,6 milhões nas contas da prefeituta de Pinheiro, recursos totalmente garantidos pelo Tesouro Estadual, para a construção do Socorrão da Baixada, que teria, entre outros, 104 leitos de enfermaria, 10 leitos de UTI, quatro salas de cirurgia, 10 de consultas e 11 leitos de observação.
“A população não precisará ir mais para São Luís para receber atendimento de emergência e urgência. Teremos aqui um Socorrão com atendimento humanizado e mais próximo da população da Baixada”, disse o governador Jackson Lago ao assinar o convênio com a Prefeitura de Pinheiro, em uma solenidade que aconteceu na sede da prefeitura, acompanhado do prefeito Zé Arlindo Souza, do deputado estadual Penaldon Jorge, de secretários, de prefeitos da região, de várias outras autoridades e parte da população de Pinheiro..
O dinheiro para executar o projeto foi seqüestrado da conta da prefeitura, pela governadora Roseana Sarney. Ninguem sabe o que foi feito com esse dinheiro.
O Governo Jackson comprou a idéia do Socorrão da Baixada, depositou o dinheiro na conta da Prefeitura e o projeto estava em marca acelerada para acontecer, mas foi bruscamente interrompido. A esperança da região de ter seu hospital de Urgencia e Emergencia morreu. Os nossos conterraneos de Pinheiro e da Baixada continuam levados em ambulancias para morrerem nos corredores do Socorrão, em São Luis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário