sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Mulher que foi sequestrada revela que não estava grávida

O caso aconteceu no município de Raposa na segunda-feira (19).
 
SÃO LUÍS - A mulher que foi espancada e supostamente violentada na cidade de Raposa, durante a madrugada segunda-feira (19), em depoimento à Polícia Civil da capital, confessou que não estava grávida. Ela admitiu que não perdeu a criança no matagal, onde foi estuprada.
De acordo com informações da própria vítima, durante o depoimento, ela afirmou ter sido estuprada, porém sua gravidez era psicológica. Ela negou a versão, contada por ela mesma, de que teria tido um bebê. Segundo a superintendente de Polícia Civil da Capital, Katherine Chaves, a mulher não chegou a contar com detalhes, porque teria inventado essa história.
Porém, ela continua afirmando que foi vítima de sequestro. Os três autores ainda não foram identificados. Além disso, ela, também, se recusa, de acordo com a superidentdente, a se submeter ao exame de corpo de delito. A mulher deverá prestar um novo depoimento.
Relembre o caso
Na madrugada de segunda-feira (19), uma mulher de 25 anos e grávida de seis meses foi sequestrada e espancada por três homens na região do Itapeuá-Cumbique, no município de Raposa.
Segundo a família da vítima, a jovem teria saído de casa por volta da meia-noite, para buscar o marido na parada de ônibus. Dois homens em uma moto teriam seguido o carro da jovem, obrigando-a a parar o veículo. Um dos criminosos teria entrado no carro e levado a vítima para uma região de matagal, onde um terceiro homem estaria esperando com álcool e um objeto que seria um bisturi.
No local, a mulher foi agredida com um soco na barriga. Como tem curso de defesa pessoal, a vítima conseguiu fugir e, no meio do matagal, acabou dando à luz à criança.
Segundo a família, a jovem embrulhou a criança em uma blusa e tentou fugir, porém, como teve medo dos criminosos a encontrarem e levarem seu filho, ela acabou escondendo o bebê em uma moita, para vir buscar depois.
A família afirma que a vítima chegou em casa por volta das 3h e estava transtornada pedindo para que buscassem a criança no matagal, porém como a barriga da jovem ainda estava grande, suspeitaram de que ela estivesse apenas delirando. Ao passar por exames médicos, foi constatado que a mulher tinha, de fato, dado a luz.
Após a descoberta, a família e conhecidos foram até a região onde o crime aconteceu tentando encontrar a criança, como não acharam, acionaram a polícia. O Corpo de Bombeiros fez vistoria na área na tentativa de localizar o bebê.
A família suspeita que os criminosos tivessem interesse apenas na criança, pois o veículo foi deixado intacto. O caso será investigado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário