quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Presos suspeitos de assassinar policial civil

Cristiano Azevedo da Mota, foi morto por uma bala perdida, durante confronto entre grupos rivais.
SÃO LUÍS - A polícia prendeu nesta quinta-feira (18), Gustavo Augusto Menezes Lopes, o Gugu; Rafael Mendonça Costa; Deusdeth da Silva Gusmão, o Pelado; além de duas mulheres identificadas como Tainara e Soraya, que seriam namoradas de Gustavo e Rafael. Eles são suspeitos de envolvimento no assassinato do policial civil Cristiano Azevedo da Mota, de 37 anos, por uma bala perdida durante confronto entre grupos rivais, ao passar por uma rua entre o Campus da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e o bairro Sá Viana.

Segundo informações, um dos integrantes do bando, que está preso, teria recebido uma ligação da Penitenciária de Pedrinhas para que fosse buscar uma pistola .40 no bairro do Sá Viana. Ao chegar no local, foi surpreendido por dois homens em um Fiat Punto que atirou contra o Gol Vermelho. Percebendo ser alvo de uma emboscada, Gustavo reagiu atirando. Na troca de tiros, o policial civil Cristiano passava de moto quando foi atingido. A polícia está à procura dos integrantes do outro veículo para identificar o autor do crime.

Do bando que ocupava o Gol Vermelho foi apreendido um revólver calibre 38 com 59 munições. A arma estava em poder de Gustavo Augusto Menezes Lopes, o Gugu. O bando foi autuado em flagrante e está recolhido na delegacia da Vila Embratel, onde prestará depoimento. Apenas Rafael Mendonça está internado no hospital Clementino Moura, o Socorrão II. Ele foi baleado durante o tiroteio.

Cristiano Azevedo da Mota, que fez parte da diretoria do Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão, e estava na polícia há 14 anos, lotado no plantão da Rffsa, iria substituir um colega na delegacia da Vila Embratel.

Apuração
A polícia está apurando para saber se o incêndio que destruiu dez casebres na comunidade Mangue Seco, na área da Liberdade, na madrugada desta quinta-feira (18), foi criminoso e tem ligação com esse caso. Segundo informações, os bandidos que ocupavam o Gol Vermelho são moradores do Mangue Seco.

Pesar

Em nota de pesar, a Delegacia Geral da Polícia Civil do Maranhão lamentou o ocorrido com o investigador Cristiano Mota, que há 14 anos integrava os quadros da instituição, e se solidarizou com os familiares e amigos do policial.
O velório do policial está sendo realizado na Central de Velórios Pax União, na Rua Osvaldo Cruz (Centro) e o enterro está previsto para as 16h desta quinta-feira (18), no Cemitério Jardim da Paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário